Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Geral > Pequena cronica para os tempos de hoje: O Grito do Silêncio

Pequena cronica para os tempos de hoje: O Grito do Silêncio

Geral por em 2015-09-07 16:33:08

PEQUENA CRÔNICA PARA OS TEMPOS DE HOJE: ‘O GRITO DO SILÊNCIO’
Por Larissa Loretti

O mundo inteiro ficou estarrecido com a cena triste.
Um soldado retira das ondas do mar, sobre a praia, o corpo pequeno e inerte de um menininho sírio de apenas três anos.
Era mais uma vítima da guerra infame, provocando a fuga em massa de uma população desprotegida e desarmada, que acaba, quase sempre, sucumbindo em naufrágios  pelos mares do mundo. E na morte de inocentes.   
Um grito, então, ecoa pelas consciências dos poderosos do mundo. Um grito vindo do silêncio de um pequeno corpo  tirado do mar. É a palavra silenciosa vinda da morte. Um apelo nascido da voz que silenciou para sempre mas que comoveu  o coração da humanidade. E se multiplicou  pelos mares, pelas praias, de todos os continentes.
E o que poderia  nos dizer esse silêncio do pequenino corpo trazido pelas ondas do mar? Minhas palavras repletas de espírito cristão podem responder...
‘Abri vossos corações ao combate  à barbárie e aos caos que vêm da guerra. Abri vossos corações à tristeza da perda de vidas inocentes, ceifadas pela adaga das maldades humanas. Abri vossos corações  e escutai os gritos de socorro dos  menininhos sírios que vão morrer nos naufrágios.  Abri vossos corações para os problemas universais que não se resolvem e dizimam milhares de vidas, em vão. Abri vossos corações empedernidos, fechados aos apelos dos inocentes perseguidos, dos excluídos, dos fugitivos da guerra.
Todos temos direito de viver na terra onde nascemos. E ninguém pode nos tirar esse direito legítimo. Um 'Não” veemente às guerras que destroem as pátrias alheias acabando com a soberania de povos inteiros. .
Senhores da posse de armamentos, abri vossos corações à não destruição da dignidade humana e acabai com a vossa falta de amor, transformando o vosso arsenal bélico em construções do bem, erguendo escolas e hospitais. Transformai-o no bem estar dos pequeninos perseguidos,fugitivos sem pátria tirados mortos das praias do mundo.
INICIO AQUI UMA CAMPANHA PELA PAZ DO MUNDO.
QUEM QUISER ADERIR DÊ SEU TESTEMUNHO!

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Arlete e Bridon

OS NOSSOS CORAÇÕES ESTÃO SANGRANDO DIANTE DE TANTA DOR E DE TANTA INJUSTIÇA.ESTAMOS SENDO CARRASCOS.QUE DEUS TENHA COMPAIXÃO DESSA HUMANIDADE TÃO MESQUINHA. VAMOS NOS UNIR EM ORAÇÕES,SUPLICAR O PERDÃO.QUEREMOS VIVER NUM MUNDO DE PAZ.PAZ PARA TODOS.

JC BRIDON

O que podemos sentir, a não ser uma grande tristeza, ao vermos uma cena que não tem explicação nenhuma? Uma crônica verdadeira. Este é o sentimento daqueles que ainda possuem uma alma e tem o espírito pronto a se doar. Tenho uma frase que explica esse absurdo: "O MUNDO TEM QUE PARAR DE SE EXTERMINAR". Parabéns pelo texto. Abraços:JC Bridon

Nancy Cobo

Não queria estar presente muito menos ver essa cena que machuca e entristece qualquer ser humano do bem e da paz. Só depende de nós a paz existir. Começando a plantar no coração das pessoas o AMOR. Com esse sentimento seremos mais humanos , e combateremos qualquer tipo de guerra. Parabéns por tão bela crônica. Conte comigo nessa luta pela PAZ bjs do meu para o seu coração. Paz e Bem

Paco de Assis

Eu não queria estar no lugar do soldado, porque sempre fujo dessas cenas e outras parecidas no nosso próprio país como a do garoto que foi morto ,a tiro, na porta de seu barraco, no Rio. Obrigado por me fazer olhar melhor e refletir. Estou contigo. Abs

Publicidade

Veja também