Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte convida para a

Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte convida para a

Cultura por em 2015-09-08 17:04:27

Com o título “Mostra Novos Coletivos – Uma Experiência de Ocupação”, 33 novos coletivos artísticos de Belo Horizonte ocuparão a grade de programação do Teatro Marília por dois meses, até 30 de outubro. Com a iniciativa, a Fundação Municipal de Cultura espera dar voz e mostrar a arte destes novos artistas que surgem constantemente na cidade. A reunião destes grupos soma mais de 300 artistas. A mostra reúne apresentações de espetáculos de teatro, dança, circo e música e seminários, que discutem temas ligados ao universo da criação, improvisação, teatro e performance, arte e política, entre outros.

Os ingressos para os espetáculos podem ser adquiridos no Mercado das Flores, por R$12 (inteira), ou nas bilheterias do Teatro Marília, de quarta a domingo, das 12h às 20h, pelos seguintes valores: 1 ingresso: R$20 (inteira) R$10 (meia); de 2 a 5 ingressos: R$16 (inteira) R$8 (meia); acima de 6 ingressos: R$12 (inteira) R$6 (meia).  

O presidente da Fundação Municipal de Cultura, Leônidas Oliveira, reforça este pensamento: “A iniciativa aproxima e amplia o diálogo com os jovens artistas da cidade. Demonstra o empenho da Fundação em prol da política de formação de novos grupos artísticos. É o fomento à vanguarda do teatro”, destaca. A FMC cedeu o espaço, equipe e equipamentos. A composição da grade e a curadoria ficaram por conta dos grupos. 

Entre os artistas envolvidos na comissão que estruturou o projeto, Cris Moreira, do Coletivo Conectores, pontua: “O diálogo com os coletivos dos artistas precisa mesmo ser mais aberto e que haja mais editais de ocupação dos teatros públicos. A mostra é interessante por não precisar passar por toda a burocracia dos editais, ampliar o debate com os coletivos e entre eles, sendo uma ótima oportunidade de diálogo e de troca para os artistas”. Pensando na perenidade do projeto, Marina Viana, do coletivo Primeira Campanha, salienta: "Espero que o projeto tenha continuidade, principalmente porque o grupo que está começando ainda não tem muito respaldo da comunidade e, além de ocupar espaços públicos, a mostra permite dar visibilidade para artistas que estão começando”. 

Fonte - Assessoria de comunicação da FMC de Belo Horizonte

Foto   - Divulgação


Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também