Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > Virada Cultural em Belo Horizonte recebeu 500 mil pessoas

Virada Cultural em Belo Horizonte recebeu 500 mil pessoas

Cultura por em 2015-09-14 14:59:17
 
Cerca de 500 mil pessoas participaram desta terceira edição da Virada Cultural de Belo Horizonte. 
Número que supera os 400 mil da edição passada, em 2014.
A Virada de 2015 ocorreu das 19h de sábado às 19h domingo, dias 12 e 13 de setembro, em diversos pontos da cidade.
O evento é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura (FMC), e correalizado pela Associação dos Amigos do Museu Histórico Abílio Barreto.
 
Foram mais de 24h de atividades e mais de 600 atrações, divididas entre 18 palcos e 70 espaços culturais.
Quatro mil profissionais, entre artistas e equipe de produção e apoio, foram envolvidos para a realização desta grande festa. 
O presidente da Fundação Municipal de Cultura Leônidas Oliveira salienta que “a Virada Cultural mais um ano cumpriu seu objetivo de ocupar a cidade com arte e cultura por mais de 24 horas”. 
E reforça que “a Virada reafirma o compromisso da FMC com a diversidade e multiplicidade cultural de Belo Horizonte”. 
 
Segundo o Comandante da Guarda Municipal de Belo Horizonte, Rodrigo Sérgio Prates, a Virada Cultural não registrou nenhuma ocorrência grave.
Ocorreram somente pequenos incidentes como furtos e roubos.
“É importante pontuar que a Virada está sendo um evento surpreendente, com relação à segurança e fluidez de público. Não tivemos nenhum registro grave até o fim da tarde de domingo”, ressalta.
 
DESTAQUES DESTA EDIÇÃO
 
Um dos grandes destaques desta edição foi abertura oficial da Virada Cultural. Mais de 20 artistas mineiros subiram ao palco da Praça da Estação para uma homenagem ao compositor e escritor mineiro Fernando Brant, um dos fundadores do movimento Clube da Esquina, criado na década de 1960. Brant faleceu no último dia 12 de junho. 
A Cia Base, com o espetáculo Mulheres do Sol e o Balão, surpreendeu.
 A apresentação integrou dança vertical, circo, teatro e esportes, mostrando bailarinas aéreas superando os limites da gravidade e voando em um balão a 20 metros de altura.
 
O Mundialito de Rolimã do Abacate, o Campeonato de Basquete de Rua do Baixo Centro, os Parklets instalados nas ruas Guaicurus e Sapucaí, a intervenção do Mulambo Coletivo, na faixada de um galpão no Centro da cidade, também chamaram atenção do público. A Banda Sepultura levou os fãs ao êxtase, na Praça da Estação.
Já o grupo Molejo, colocou todo mundo pra sambar e cantar em alto e bom som os clássicos dos anos 80 e 90 e encerrou as atividades da festa.
 
No Palco Guaicurus, a sensação da madrugada foi a excêntrica Keila Gaga. Com uma entrada triunfal, 18 bailarinos, três trocas rápidas de figurino e uma legião de fãs na plateia, Keila dublou e dançou hits da cantora Lady Gaga. O público acompanhou com aplausos e gritos e, ainda, seguiu as coreografias até o fim.
O cantor paraense Felipe Cordeiro, sensação da guitarrada, trouxe um pouco do tempero do Norte do país para Belo Horizonte e se surpreendeu com o coral afinado da Guaicurus.
 
A novidade deste ano, os arcos do Viaduto Santa Teresa, recebeu o público com diversas feirinhas de livros, CDs, artesanato e roupas; intervenções urbanas, food trucks com lanches rápidos; atividades de recreação para a criançada; espetáculos de música, dança e teatro; e um espaço para descanso e contemplação do lindo horizonte da capital.
 
A Praça Sete, Parque Municipal, embaixo do Viaduto Santa Teresa, Edifício Sulacap, equipamentos da Fundação Municipal de Cultural, a Praça Nova da Pampulha, Sesc Palladium, Praça da Liberdade, ruas da região da Savassi, Mirante do Mangabeiras, Casa Fiat de Cultura, Centro Cultural Banco do Brasil, Funarte, Minas Tênis Club e outras dezenas de locais da capital, também foram palcos de diversas manifestações artísticas. Entre elas, música, teatro, dança, circo, literatura, artes visuais, intervenções urbanas, cultura popular, gastronomia e artes integradas.
 
CHUVA CAUSA IMPREVISTOS
 
Alguns shows e apresentações precisaram ser cancelados nesta edição, devido a forte chuva desta manhã de domingo (13/09). No Parque Municipal, foram cancelados os espetáculos Rabiola, Olá, Catibiribola, de Silvia Negrão, no palco Artes Cênicas; do Trem Tan Tan, no Palco Gramado; e o Cortejo pela Educação Integral, da SMED, previstos para às 9h.
 
O espetáculo Os Sustentáveis, previsto para às 10h, no Palco Diverso, também foi cancelado. A apresentação da artista Érika Machado, com o espetáculo Superultramegafluuu, chegou a ocorrer no horário previsto, porém foi prejudicada pela chuva. Até o início do show, a parte elétrica ainda estava bastante molhada, o que inviabilizou a montagem completa da cenografia do espetáculo.
 
Já na Praça da Estação, algumas atividades de chão sofreram alterações. A Trilha Ecológica foi cancelada. A Rua de Lazer ocorreu de forma parcial e a Oficina de Circo da Trupe Gaia e a apresentação Bateras de Minas começaram com atraso. 
O restante da programação oficial da Virada não foi prejudicado e seguiu conforme o previsto.

Fonte - Charles Galantini
Fotos  - Nereu Jr. e Glênio Campregher
 


Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Erick

Assisti ao show da Keila Gaga e foi espetacular, melhor momento da Virada Cultural!

Publicidade

Veja também