Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > Debate marca encerramento de projeto que homenageia Jorge Amado.

Debate marca encerramento de projeto que homenageia Jorge Amado.

Cultura por Alberto Araújo em 2015-09-17 17:36:57

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro apresenta nesta sexta-feira, dia 18 de setembro, o encerramento do projeto Jorge Amado em 4 Faces. Durante o evento foram realizadas oficinas e leituras dramatizadas a partir das obras do escritor baiano, buscando a valorização da cultura e da literatura nacional. Estudantes adolescentes de escolas municipais e projetos sociais como "APADA - Associação de Pais e Amigos dos Deficientes da Audição de Niterói" estiveram presentes no evento. O projeto contou com a tradução em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais), visando promover a interação de alunos ouvintes e surdos.

Nesta sexta-feira (18), às 14h a oficina e leitura dramatizada serão sobre a obra "Tenda dos Milagres" e a partir das 17h, será realizada uma mesa de debates sobre as obras do escritor com a presença de Cecília Amado, neta de Jorge Amado e cineasta, e também de Marisa Mello, pesquisadora da obra do autor. O evento é gratuito e aberto a todos que têm interesse pela obra de Jorge Amado.


"Esse evento é muito legal no recorte, que mostra essas quatro facetas de Jorge através de quatro romances diferentes, buscando o diálogo diretamente com o jovem e com aquele que lê o romance de Jorge, mas na realidade não está totalmente envolvido no universo dele. Para a gente que é da família, participar desse evento é importantíssimo para manter Jorge Amado vivo na cena cultural brasileira", declara Cecília Amado, neta do escritor.


O projeto tem realização da Rapsódia – Empreendimentos Culturais com patrocínio da Caixa Econômica Federal e Governo Federal.


 

UM POUCO SOBRE JORGE AMADO

Jorge Amado nasceu a 10 de agosto de 1912, na fazenda Auricídia, no distrito de Ferradas, município de Itabuna, sul do Estado da Bahia. Filho do fazendeiro de cacau João Amado de Faria e de Eulália Leal Amado.


Com um ano de idade, foi para Ilhéus, onde passou a infância. Fez os estudos secundários no Colégio Antônio Vieira e no Ginásio Ipiranga, em Salvador. Neste período, começou a trabalhar em jornais e a participar da vida literária, sendo um dos fundadores da Academia dos Rebeldes.

Publicou seu primeiro romance, O país do carnaval, em 1931. Casou-se em 1933, com Matilde Garcia Rosa, com quem teve uma filha, Lila. Nesse ano publicou seu segundo romance, Cacau.

Formou-se pela Faculdade Nacional de Direito, no Rio de Janeiro, em 1935. Militante comunista, foi obrigado a exilar-se na Argentina e no Uruguai entre 1941 e 1942, período em que fez longa viagem pela América Latina. Ao voltar, em 1944, separou-se de Matilde Garcia Rosa.


Em 1945, foi eleito membro da Assembleia Nacional Constituinte, na legenda do Partido Comunista Brasileiro (PCB), tendo sido o deputado federal mais votado do Estado de São Paulo. Jorge Amado foi o autor da lei, ainda hoje em vigor, que assegura o direito à liberdade de culto religioso. Nesse mesmo ano, casou-se com Zélia Gattai.


Em 1947, ano do nascimento de João Jorge, primeiro filho do casal, o PCB foi declarado ilegal e seus membros perseguidos e presos. Jorge Amado teve que se exilar com a família na França, onde ficou até 1950, quando foi expulso. Em 1949, morreu no Rio de Janeiro sua filha Lila. Entre 1950 e 1952, viveu em Praga, onde nasceu sua filha Paloma.


De volta ao Brasil, Jorge Amado afastou-se, em 1955, da militância política, sem, no entanto, deixar os quadros do Partido Comunista. Dedicou-se, a partir de então, inteiramente à literatura. Foi eleito, em 6 de abril de 1961, para a cadeira de número 23, da Academia Brasileira de Letras, que tem por patrono José de Alencar e por primeiro ocupante Machado de Assis.

A obra literária de Jorge Amado conheceu inúmeras adaptações para cinema, teatro e televisão, além de ter sido tema de escolas de samba em várias partes do Brasil. Seus livros foram traduzidos para 49 idiomas, existindo também exemplares em braile e em formato de audiolivro.

Jorge Amado morreu em Salvador, no dia 6 de agosto de 2001. Foi cremado conforme seu desejo, e suas cinzas foram enterradas no jardim de sua residência na Rua Alagoinhas, no dia em que completaria 89 anos.

A obra de Jorge Amado mereceu diversos prêmios nacionais e internacionais, entre os quais destacam-se: Stalin da Paz (União Soviética, 1951), Latinidade (França, 1971), Nonino (Itália, 1982), Dimitrov (Bulgária, 1989), Pablo Neruda (Rússia, 1989), Etruria de Literatura (Itália, 1989), Cino Del Duca (França, 1990), Mediterrâneo (Itália, 1990), Vitaliano Brancatti (Itália, 1995), Luis de Camões (Brasil, Portugal, 1995), Jabuti (Brasil, 1959, 1995) e Ministério da Cultura (Brasil, 1997).


Local

Oficina e leitura: CAIXA Cultural Rio de Janeiro - Sala Margot

Mesa de debates: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinema 2

Endereço: Av. Almirante Barroso, 25 – Centro (Metrô: Estação Carioca).

Lotação:

Oficina e leitura: 40 lugares

Oficina e leitura: 80 lugares

Classificação indicativa: 12 anos

Entrada Franca

(os ingressos serão distribuídos a partir de 1h antes).

Inscrições pelo e-mail: jorgeamado4facesrj@gmail.com 

Acesso para pessoas com deficiência

Patrocínio: Caixa Econômica Federal e Governo Federal

Assessoria de Imprensa da CAIXA Cultural Rio de Janeiro (RJ)

(21) 3980-3096 / 4097

www.caixacultural.com.br    

https://www.facebook.com/CaixaCulturalRioDeJaneiro





Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também