Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Shows > ATÉ QUE O CASAMENTO NOS SEPARE

ATÉ QUE O CASAMENTO NOS SEPARE

Shows por Sandra Hasmann em 2015-09-17 18:19:57


 

Nesse cenário "surrealista"  em que se transformou nosso Brasil, com tantos absurdos contra o cidadão acontecendo a cada dia, e onde o sentimento dominante é o de perplexidade, tristeza e decepção, eis que surgem em meio ao caos reinante, alguns "oásis de Luz" trazendo um cadinho de descontração e alegria a todos nós. E isso cai como um bálsamo na alma da gente, principalmente quando nos leva a sérias reflexões com muuuita gargalhada...

Foi isso que aconteceu no dia 10/09 p.p. na sala Ariano Suassuna, em Jacareí/SP.

 Pudemos assistir à hilária peça  ATÉ QUE O CASAMENTO NOS SEPARE, escrita pela maravilhosa e talentosíssima atriz, escritora e apresentadora Cris Nicolotti, e pelo ator e humorista Eduardo Martini.

Protagonizada pelo próprio Eduardo Martini e a belíssima Suzi Rêgo, atores mais que consagrados da televisão, cinema e teatro,  a apresentação  teve recorde de bilheteria, com auditório lotado nas duas sessões. Tavinho e Duda (personagens) trazem à tona, de forma criativa e bem humorada, situações cotidianas comuns aos casais, onde embates são travados na firmação da identidade, deveres e direitos de cada cônjuge, abordando inclusive questões sexuais de forma clara, sem cair  no vulgar ou na imoralidade. Um trabalho primoroso de criação e interpretação que, com certeza, mereceu todos os aplausos que recebeu de pé. O final foi apoteótico! E vale lembrar que toda a renda foi destinada à ONG "Guri na Roça" -  http://www.gurinaroca.org.br/pagina_incial).

Como não poderia deixar de ser, estive lá representando o nosso Jornal SEM FRONTEIRAS, onde fui muitíssimo bem recebida pelos atores e pela equipe da Fundação Cultural de Jacareí.

 Fiquei simplesmente encantada ao entrevistar Eduardo Martini e Suzi Rego, pois descobri neles pessoas mais que especiais comprometidas com o social, preocupadas com o próximo, atuantes e dedicadas às nobres causas. Suzi, essa mulher linda de viver (uma beleza que faz com que a gente fique olhando para ela meio que hipnotizados), contou que cria os filhos gêmeos Massimo e Marco, conscientes da importância do trabalho feito acima de tudo com o coração, pois tanto para ela quanto para o marido Fernando Vieira (ator e mímico brasileiro, que também leciona improvisação desde 2004) o trabalho deles é a realização de um sonho. -"Quando colocamos o coração (e não só a mente...) naquilo que fazemos, as coisas acontecem de uma forma única, mágica, e trazem coisas boas para todos". Suzi também contou que sempre foi envolvida com as causas sociais e ajuda diversas entidades, pois essa é uma preocupação constante.

Eduardo Martini também falou com paixão sobre seu trabalho: - "A peça foi escrita em parceria com Cris Nicolotti, amiga querida e pessoa maravilhosa, há muitos anos atrás. Aí a Cris foi fazer as novelas na Globo, e eu acabei convidando outra pessoa para atuar, e agora  com a Suzi Rêgo já existem outros trabalhos em mente para essa parceria. Aliás já estamos com um novo trabalho, a peça VALHAM-ME DEUSES , do Perito Monteiro, direção de Neide Veneziano, que estreia dia 30 no teatro União Cultural, quartas e quintas às 21 hs. E a peça ATÉ QUE O CASAMENTO NOS SEPARE continua no teatro às 21,30hs nas sextas,   e às 21hs aos sábados ".

Eduardo, agora também diretor artístico do Teatro União Cultural, está trabalhando arduamente para levantar novamente esse teatro que esteve fechado por quase dois anos. Já está fazendo também a peça SIMPLESMENTE CINDERELA. Enfim, muito trabalho com muita paixão, inclusive com o projeto de um Festival de Comédia de quarta a domingo. E Fernando Vieira, marido de Suzi Rego, vai dar início a um projeto, um concurso: - “Ele vai apresentar  sempre dois grupos fazendo monólogos, duplas ou quartetos, e quem vencer por voto popular ganha uma pauta com um mês de apresentação no Teatro".  Como podem ver, tem muita coisa boa vindo por aí no Teatro União Cultural, e eu prometo contar tudinho .

Sobre o fato de terem trazido a Peça a Jacareí com toda a renda em prol da ONG infanto-juvenil GURI NA ROÇA, Eduardo diz que tem um compromisso com a educação e as crianças, e ficou apaixonado pelo projeto da ONG, que tem como pedra filosofal a preparação das crianças para a inserção social, fornecendo-lhes ferramentas, tanto cognitivas, como psicológicas, éticas e sociais. Como sempre foi envolvido com as causas sociais (já foi voluntário do Hospital do câncer por 5 anos, entre outros),  começou a ter um vínculo muito grande com a cidade -"Uma cidade dessas, com uma ONG dessas e com um teatro como esse que vocês têm aqui, sob a batuta de uma mulher como a Sonia Ferraz (Sec. de Cultura) e outras pessoas tão especiais como Rita Guida, e  a Luciana (da ONG), merecem isso e muito mais". E concluiu a entrevista (e também a apresentação da peça) falando emocionado sobre a foto do garotinho refugiado, morto na praia, que chocou o mundo todo: -” De que adiantou o governo levar o pai e a família de avião p/ o velório? Por que não ofereceu avião e dignidade no tratamento qdo eles estavam vindo, o garotinho vivo, e mais precisaram?! Essa ONG de Jacareí está ajudando as crianças daqui a não naufragarem..."

Deixo aqui meu sincero agradecimento, em nome do Jornal SEM FRONTEIRAS, à Fundação Cultural de Jacareí pela total colaboração para que essa entrevista fosse feita, e aos queridos e maravilhosos atores Suzi Rêgo e Eduardo Martini, que tão gentilmente nos receberam.

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também