Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Literatura > Antonio Manuel Palhinha e O MENINO QUE SONHAVA COM AS LETRAS...

Antonio Manuel Palhinha e O MENINO QUE SONHAVA COM AS LETRAS...

Literatura por Sandra Hasmann em 2015-12-09 22:53:56
"Poeta, escrevinhador de palavras, amante da escrita, um cidadão do mundo" - é assim que se auto-denomina esse brilhante  escritor e educador chamado Antonio Manuel Palhinha, que entre outros tesouros literários, brinda-nos com um primoroso livro - mais um  de sua brilhante jornada - intitulado O MENINO QUE SONHAVA COM LETRAS, da Chiado Editora, ilustrado pelo jovem e talentoso Tomás Castro.

Segundo o autor, "Onde existir uma criança, façam-lhe chegar um livro! Os livros não necessitam de baterias para funcionar. Podem ser lidos no campo, na floresta, na montanha e na praia, o tempo que quisermos. Poderão assim observar essa criança sonhar através das letras, e sentir o prazer da leitura. E quando for jovem, adulto, se lhe concedermos a possibilidade de concretizar os seus sonhos, ou parte deles, passaremos a ter uma Humanidade menos eremita no próprio corpo, limitada pela tecnologia nas relações interpessoais".

Nascido em Lisboa em 13 de maio de 1967, Antonio Manuel Palhinha muito cedo manifestou interesse pelas ciências e escrita. Apaixonado pela Medicina,  mas também um amante da escrita, tem formação em Gestão de Emergência e Serviços Continuados, Emergência de catástrofe e Emergência Pré-Hospitalar. É Certificado pelo Conselho Cientifico - Pedagógico da Formação Contínua em várias áreas e domínios.

Pioneiro a nível Internacional na formação em Primeiros Socorros para Cegos e Ambliopes, se diz "um sonhador das letras", que começou  a escrever poesias quase ao mesmo tempo em que começou a aprender a escrever...

Pioneiro num novo conceito na literatura infantil, com a introdução de páginas em branco nos contos infantis, incentiva dessa forma as crianças para a leitura. 

Um profissional de saúde, um cidadão do mundo. 

- Acadêmico Correspondente Internacional da ALMAS - Academia de Letras, Música e Artes de Salvador.
- Acadêmico Correspondente Internacional da ALAF - Academia de Letras e Artes de Fortaleza.
- Membro do Núcleo Acadêmico de Letras e Artes de Lisboa.
- Acadêmico fundador da AMBA - Academia Mineira de Belas Artes (Belo Horizonte/MG - Brasil)

"O MENINO QUE SONHAVA COM AS LETRAS surge de um episódio com o meu filho mais novo, quando lhe contava uma história ao deitar-se. Ao terminar ele disse: -“ Pai quando fores velhinho e eu já souber bem as letras, vou contar-te histórias quando te fores deitar…”. Esta afirmação foi o fio condutor para o titulo, pois imaginei o meu filho nessa noite a sonhar com as letras, em aprender a ler e a escrever. É um conto infantil contemporâneo. 
Em todo o mundo, crianças e adultos sonham em aprender as letras, em iniciar essa caminhada da leitura e da escrita. Mas por vezes, é uma caminhada dificultada por várias adversidades. O menino desta história, o Josué, é uma criança especial que, com a ajuda dos pais, descobre que as letras fazem parte do nosso passado, presente e futuro. Também na escola descobre que aprender é ir mais além, é ter um futuro que assenta nos pilares do conhecimento e do saber. Para tal, conta com uma professora que busca, na criatividade, o saber cativar".

Antonio Manuel Palhinha também é autor de:

 - O MENINO QUE SONHAVA COM AS LETRAS 

- O ESPANTALHO ESPANTA "MILHARUCOS"

- O GATO FANFARRÃO

- O ORNITORRINCO JEREMIAS

- A MINHA AVÓ CONTADORA DE HISTÓRIAS FAZEDORA DE SONHOS

Recebeu em 1 de dezembro de 2015, uma carta do Vaticano, com menção à gratidão de  Sua Santidade o Papa Francisco, por uma de suas obras  (vejam foto...). 

 O mundo carece de  pessoas realmente comprometidas com a Educação e Cultura de nossos pequenos. Eles construirão o futuro, e são portanto a esperança, não de um amanhã melhor, mas da possibilidade de um amanhã! 

Nossos cumprimentos, prezado colega,  por seu importante e oportuno trabalho literário  junto às crianças. 


Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

António Manuel Palhinha

Bem Haja ao Jornal Sem Fronteiras, que desconhecia a sua existência e do qual já me tornei fã.

Publicidade

Veja também