Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Eventos > Nesta quarta, Música Clássica no Leblon: Homenagem a Kurt Masur e Leonard Bernstein – um diálogo de grandes interpretes de Brahms...

Nesta quarta, Música Clássica no Leblon: Homenagem a Kurt Masur e Leonard Bernstein – um diálogo de grandes interpretes de Brahms...

Eventos por Alberto Araújo em 2016-02-02 17:03:15

                

Nesta quarta, no Leblon: Homenagem a Kurt Masur e Leonard Bernstein – um diálogo de grandes interpretes de Brahms – Leonard Bernstein e Kurt Masur.

De quem é a leitura perfeita da Primeira Sinfonia de Brahms ?

 

Local: Leblon Business Center

Rua Venâncio Flores, 305 / 2 andar - auditório - no Leblon, Rio/RJ

(em cima do Banco do Brasil, na esquina com Av. Ataulfo de Paiva)

- estacionamento no mesmo prédio - Informações com Ruth:

pelos tel.: 21-98741-0003

ou pelos e-mails: ruthnzohar@gmail.com ;  marcel@lingerio.com.br;

 

 

PROGRAMAÇÃO DETALHADA:

 

Quartas às Três e Meia

 

PROGRAMA 549:                                           

 

3 de fevereiro de 2016, às 15:30min

 

Musicativa – 18 anos saboreando Musica.

                     Clube de Amigos da Música do CIB

 

www.mymemo.com.br

 

peça programações pelo e-mail: marcel@lingerio.com.br                                                    

 

Quartas às Três e Meia

PROGRAMA 549:                                                             

3 de fevereiro de 2015, as 15:30min

Próximo tema: Jacqueline du Pré, um fenômeno inigualável, como ?

Jacqueline du Pré (Oxford, Inglaterra UK 1945 - 1987)

 

Surpresa:                                                                                                                                     

0. Lang Lang (Shenyang, Liaoning, China 1982):

Wolfgang Amadeus Mozart: Sonata para piano n.11 K331 - III. Rondo, alla turca

 

00. Jonas Kaufmann (Munich, Alemanha 1969):

Franz Lehar (Komarom, Austria - atual Eslovaquia 1870 - 1948): 

"Dein ist mein ganzes herz - Teu é o meu coração",

da opereta "Das Land des Lächelns - O País do Sorriso" (1929)

 

Londres 2014

 

Kurt Mazur, uma vida de aventuras musicais, e as sinfonias de Brahms

Kurt Mazur (Brieg, então Alemanha, hoje Polônia 1927 - 19 de dezembro de 2015 )

 

1. Homenagem de Brahms a Beethoven - Sexta Sinfonia - Primeira Sinfonia, primeiro mov

 

2. Filme "Uma Aventura Musical - Kurt Masur" (2011), de Amit Breuer - trecho     

 

2. Johannes Brahms (1833 - 1897):

Sinfonia n.1 em dó menor

I. Un poco sostenuto - Allegro                                                                                             

II. Andante sostenuto                                                                                                           

III. Un poco allegretto e grazioso                                                                                           

IV. Adagio - Più andante - Allegro non troppo, ma con brio

 

3. Introdução de Kurt Masur (Leipzig 1991)

Orquestra Gewandhaus de Lepzig

Glasgow, Escócia 1991                                                                                                           

 

4. Introdução de Leonard Bernstein(Lawrence / MA, USA 1918 - 1990) (Viena 1981)

Filarmonica de Viena Viena 198.

 

 

BIOGRAFIA

 

 

Brahms era filho de uma costureira e de um contrabaixista, cresceu pobre num bairro pobre de Hamburgo, na vizinhança da zona portuária. Constitui grande mérito de seus pais (e prova de que os dotes artísticos de Brahms desde cedo se revelaram) o fato de que apesar da pobreza em que viviam, o menino ter sido estimulado a dedicar-se horas e horas, todos os dias, aos estudos musicais.

 

Aos 14 anos, Brahms começou a trabalhar à noite, executando música de dança em tavernas de marinheiros, mas pelas manhãs e tardes ele se dedicava seu tempo ao estudo sistemático de Bach e Beethoven, sob a orientação de um dos mais competentes professores de pianos de seu tempo, que não permitiu que se sacrificasse a educação formal e virtude do extraordinário talento que revelara.

 

Na década de 1870, Brahms era tido como um dos mais respeitados compositores da Europa. Seus admiradores chamavam-no de “segundo Beethoven”. Apresentava-se às vezes como regente e solista de piano de suas próprias obras, mas seu caráter defensivo e recolhido lhe impunha em geral uma existência solitária.

 

Principais Obras: 4 sinfonias; 2 serenatas; 2 aberturas; variações sobre um tema de Haydn; 2 concertos para piano e orquestra; concerto para violino; concerto para violino, cello e orquestra (duplo); 21 danças húngaras.

 

 

 

 

6. Mendelssohn, Felix (Hamburg, Alemanha 1809 - 1847):

Concerto para violino e orquestra em mi menor op.64 (1845)                              

I. Allegro molto appassionato                                       

II. Andante                                                                                                     

III. Allegro non troppo - allegro molto vivace

 

6.1. BBC Symphony Orchestra

Janine Jansen (Soest, Holanda 1978), violino

Londres

 

6.2. Filarmonica de Israel

Shlomo Mintz (Moscou, Russia 1957 - emigrou aos 2 anos para Israel), violino

Zubin Mehta (Bombaim, India 1936), regente

Festival Huberman, Tel Aviv, Israel 1983

 

6.3.  Gewandhausorchester Leipzig

Kurt Masur (Brieg, Alemanha 1927), regente

Frank-Michel Erben (Leipzig, Alemanha 1965 ), violino Leipzig 1997.

 

 

 

O nome “Felix” significa “feliz” e se ajusta a Mendelssohn com perfeição. Sua família era grande e amorosa, seus pais ricos e seu lar sempre cheio de visitas interessantes e divertidas: políticos, poetas, homens de negócios, artistas e músicos. Ele próprio era notadamente bem-dotado: tinha memória fotográfica, sabia falar meia dúzia de línguas, escrevia poesia, desenhava, era interessado em filosofia.

 

Poderia ter seguido qualquer uma dentre dezenas de carreiras, mas desde a infância, seus supremos dons eram musicais. Tocava piano, órgão e violino, regia e, acima de tudo, compunha: aos 15 anos já havia escrito uma ópera, uma dúzia de sinfonias e mais de 100 peças de câmara e canções; aos 17 anos, graças ao seu Octeto e à abertura “Sonho de Uma Noite de Verão”, já era um dos compositores mais admirados na Europa.

 

Resgatou músicas de Bach, Haendel, Haydn e Mozart da obscuridade para o público. Deve-se a Mendelssohn o resgate da “Paixão segundo São Mateus”, de J. S. Bach, depois de mais de 70 anos esquecida.

 

Passava semanas e meses viajando e, a fim de poder ter tempo para compor, levantava-se às 5 horas da manhã todos os dias e trabalhava o máximo de tempo possível.

 

Ninguém poderia levar uma vida dessas muito longa. Em 1847, já sofrendo de exaustão e, no meio de uma cansativa viagem à Inglaterra, teve um choque ao saber da morte de sua irmã, Fanny, muito amada por ele, e, pouco depois, sofreu 2 derrames, vindo a falecer.

 

Principais Obras: Sinfonia Italiana, Sinfonia Escocesa, Abertura de Sonho de uma noite de verão; concerto para violino em si menor; trio para piano e cordas em ré menor; quarteto em fá menor; canções sem palavras.

 

 

Dein Ist Mein Ganzes Herz

 

 

Dein ist mein ganzes herz

Wo du nicht bist, kann ich nicht sein

So, wie die blume welkt

Wenn sie nicht küsst der sonnenschein

Dein ist mein schönstes lied

Weil es allein aus der liebe erblüht

Sag mir noch einmal, mein einzig lieb

Oh sag noch einmal mir

Ich hab dich lieb

Wohin ich immer gehe

Ich fühle deine nähe

Ich möchte deinen atem trinken

Und betend dir zu füssen sinken

Dir, dir allein! Wie wunderbar

Ist dein leuchtendes haar

Traumschön und sehnsuchtsbang

Ist dein strahlender blick

Hör ich der stimme klang

Ist es so wie musik

Dein ist mein ganzes herz

 

Teu é o meu coração

 

Teu é o meu coração

Onde você não está, eu não posso estar

Assim como a flor murcha

Se não é beijada pelo sol

Tua é a minha melhor canção

Porque floresceu sozinha por amor

Diga-me novamente, meu único amor

Oh diga ainda uma vez para mim

Eu te amo

Onde quer que eu vá

Eu sinto tua presença

Eu quero beber o teu hálito

E rezar ajoelhando a seus pés

Você, só você! Que maravilha

É teu brilhante cabelo

Um sonho bom e a saudade

É o teu olhar radiante

Eu ouço o som de tua voz

É como uma música

Teu é o meu coração

 

 Apoio na divulgação


Coluna Focus Cultural de Alberto Araújo

no Portal Sem Fronteiras.

 

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também