Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > O Dia Em Que Subi O Morro

O Dia Em Que Subi O Morro

Cultura por em 2014-10-11 19:46:50

Em 2012, subi o Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, para assistir a 1ª Festa Literária Internacional das UPPs. (FLUPP)

O meu receio de subir o morro era de se considerar. Mas a vontade de estar perto de  pessoas que já faziam parte da minha seleção de escolhidos foi maior que o receio. E foi de uma maneira muito agradável que me libertei do receio, ao viver momentos de extrema integração e de satisfação imensa. Já no primeiro contato dava para sentir a alegria, a disciplina, a organização enfim, com que os envolvidos – todos da comunidade – desempenhavam suas tarefas. Eram jovens, na maioria, que, sempre com um sorriso  gentil e uma alegria genuína, procuravam atender os visitantes. Fiquei inteiramente liberta, completamente entrosada, e me deixei levar pelo ambiente onde só se respirava cultura. Selecionei as palestras que queria assistir e, nos intervalos, me deliciava com incurções às bancas de livros ou assistia aos espetáculos musicais e teatrais apresentados por componentes da comunidade.

Sei que deve soar estranho eu estar falando da Feira que aconteceu há dois anos. Mas tenho meus motivos: a morte de Ariano Suassuna me trouxe à lembrança os momentos que passei vendo, ouvindo e conversando com ele.  

A razão principal de visitar a Flupp era, justamente, a possibilidade de assistir à “Aula Espetáculo” de Ariano Suassuna, para mim, o ponto alto da Feira. Era uma vontade antiga. A perspectiva de vê-lo ao vivo e de participar como “sua aluna” me deixava emocionada e ansiosa.

Em nenhum momento, durante a aula, consegui tirar os olhos daquela pessoa ímpar que estava à minha frente. Aquele jovem de 85 anos era uma lição de vida. Esbanjava alegria, disposição e uma vontade férrea de entregar ao seu semelhante, de um modo deliciosamente lúdico, todo conhecimento que possuía. 

Após a aula, ele foi levado a uma sala, onde daria uma entrevista coletiva, exclusivamnte para repórteres credenciados. Uma multidão o acompanhou, na esperança de estar com ele. Eu estava na multidão. Não aceitava a ideia de tê-lo tão perto e não falar com ele. Mas, como todos os outros, fui barrada. Ninguém, além dos  repórteres, conseguiu entrar. Já estava, muito a contragosto, aceitando a realidade, quando me lembrei que tinha na bolsa, a carteira de membro da Literarte (ainda não era colunista deste jornal e não possuía ainda minha atual carteirinha e crachá de jornalista). Aproximei-me da mocinha muito simpática que estava na coordenação e, mostrando a carteira, falei que eu também tinha umas perguntas a fazer em nome da Literarte. Ela examinou a carteira e disse: “Venha comigo.” E me levou diretamente à sala da imprensa.

Fiquei super feliz. Havia conseguido meu intento!

Quando a entrevista terminou, esperei pacientemente que os repórteres se despedissem e me aproximei de Suassuna, sob os olhares atentos dos organizadores, que desejavam - muito acertadamente! - poupar o escritor de um cansaço a mais.

Pedi licença e me sentei a seu lado, na poltrona. Com um doce sorriso e extremamente gentil, deixou-me muito à vontade e entabulamos uma gostosa conversa. Quando soube que eu gostava de escrever livros infantis, me encentivou muito a continuar e a escrever sempre:  “Escreva!” - disse. - “Escreva sempre e leia muito!”

Infelizmente, meu tempo acabou. Ele, gentilmente, se levantou também. Pedi para tirar um retrato. Consentiu e passou o braço nos meus ombros. Foto batida, eu ousei: “Posso lhe dar um beijo?” Ele respondeu sorrindo:  “Deve!”

E eu lhe dei o mais agradecido, o mais sincero, o mais respeitoso beijo.

Outro sorriso da minha seleção de escolhidos que tive o privilégio de usufruir - João Ubaldo Ribeiro.

Dois sorrisos que se apagaram. Dois sorisos que estarão para sempre em minha saudade como doces lembranças.

 

Crédito das fotos: Acervo particular da colunista

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também