Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Literatura > Lucinha Lima

Lucinha Lima

Literatura por Selmo Vasconcellos em 2016-02-25 10:42:04

                

Lucinha Lima é paulista e mineira de coração há 32 anos.  É Colunista do Jornal Sem Fronteiras, educadora, escritora, contista, cronista, contadora de histórias, Comendadora pela ABD, Membro das Academias ALAF- Fortaleza-CE  e ALAB - Búzios-RJ e  Titular Acadêmica da ABRAMMI.

“Lili, a Formiguinha Rebelde”, seu primeiro livro, ganhou em Petrópolis - RJ o Prêmio “Cláudio de Souza” da Literarte, na categoria melhores livros infantis.

Em Abril de 2015 lançou seu 2º livro infantil “A Gansa Solitária”, que aborda o preconceito racial e suas consequências.

Foi agraciada com o “Oscar de Ouro dos Vencedores”, da OHPCB,  na Assembleia Legislativa de São Paulo e laureada com  “Diploma Destaque Cultural 2012” do Instituto Biográfico do Brasil e Academia Brasileira de Arte, Cultura e História em São Paulo - Capital. 

Pelo Conto Regional “O ET de Varginha”, recebeu diploma e troféu no “1º Festival de Contos do Rio de Janeiro”. 

Escreveu contos e poesias em várias Antologias no Brasil, Argentina, Portugal e Itália. 

Recebeu o “Prêmio Excelência Cultural - ABD 70 anos”, no Palacete Laguna, RJ.

 Foi laureada pela Câmara Municipal da cidade do Rio de Janeiro com Moção, em parceria com a Academia Infanto-juvenil, do Estado do Rio de Janeiro, pelo profissionalismo, ética e empreendedorismo demonstrados no exercício de suas atividades. 

Recebeu da “Rede Mídia de Comunicação Sem Fronteiras” o troféu e diploma “Colunista do Ano” do Jornal Sem Fronteiras, em reconhecimento ao excelente desempenho e competência na elaboração da Coluna - “CULTURA MINEIRA”.

Agraciada pela ABRAMMIL - Academia Brasileira de Medalhística Militar, com diploma e a medalha “Mérito Presidente Juscelino Kubitschek”, pelos relevantes serviços prestados por meio de suas ações sempre ligadas à ousadia nas realizações sociais e culturais, concorrendo para a integração do Brasil. 

Foi empossada como Acadêmico Titular na Academia de Medalhística Militar “ABRAMMIL”, na cadeira nº 52- Patrono - Cora Coralina.

Recebeu Menção Honrosa da Cia Arte Cultura pela participação  da Exposição “Letra e Imagem” com a   poesia inspirada em um quadro de Simon Abuah “Indecisão”em São Paulo Capital.  

Foi agraciada com o Troféu SACI III da ALAB, Academia de Letras e Artes Buziana -RJ

Seus livros infantis primam por resgatar os valores éticos e morais necessários à formação do cidadão. 

 

SELMO VASCONCELLOS - Quais as suas outras atividades, além de escrever?

LUCINHA LIMA – Sou paulista, e vivo em Belo Horizonte há mais de 30 anos, portanto mineiríssima.

Sou colunista do Jornal Sem Fronteiras,  uma das pioneiras, no início comecei como 

‘jornaleira”, só distribuía o Jornal, mas depois fui fazendo entrevistas, fotografando e de repente era colunista, tendo ganhado em 2015 na Cidade de Veneza /  Itália  o “Prêmio  Colunista do Ano” e o “Excelência Cultural”  o qual muito me orgulho!

Além, de escritora dedicada ao público infantil e infanto-juvenil, tendo participado de várias antologias e muito raramente  escrevo poesias, nasce como mágica em  estilo  Lírico! 

Também sou contadora de histórias e neste ano,  vou levar o teatro à escola, mostrar um mundo novo, cheio de fantasia porém repleto de valores socioeducativos, para todas as crianças!

Sou Educadora, mas estou afastada das salas de aulas, porque não aceito o método de ensino aplicado nas escolas, sou rebelde, sou à moda antiga.

Sou do tempo em que os alunos respeitavam e admiravam os professores. Não vou me agredir seguindo regras que o governo impõe!  

Nunca tive problemas como meus alunos, mas fico indignada com “certas”  atitudes que os professores são obrigados a acatar. Eu não aceito  e ponto final. 

Prefiro escrever para minhas crianças e educá-las através da literatura e da magia do teatro. Foi a forma que encontrei para não abandonar as crianças, não deixá-las à mercê do nada,  sem futuro, sem valores...  

SELMO VASCONCELLOS - Como surgiu seu interesse literário?

LUCINHA LIMA - Meu interesse pela literatura nasceu comigo, escrevo e invento histórias, desde quando me alfabetizei . Aprendi a ler sozinha pegando pedaços de jornais rasgados e emendando as letras.

SELMO VASCONCELLOS - Quantos e quais os seus livros publicados?

LUCINHA LIMA – Tenho dois livros infantis publicados “LILI, A FORMIGUINHA REBELDE” e “A GANSA SOLITÁRIA” e 2 estão em fase de acabamento, no prelo como se diz, esse ano serão lançados para a minha alegria e das minhas  crianças.

Tenho várias antologias, em português e  traduzidas e publicadas  para o   Italiano, Inglês, espanhol.

SELMO VASCONCELLOS - Qual (is) o(s) impacto(s) que propicia(m) atmosfera(s) capaz(es) de produzir literatura?

LUCINHA LIMA – Bem, impacto, atmosfera para produzir literatura... humm pergunta difícil de responder, mas vamos lá:

Adoro a fantasia, o mundo ideal e, como dizem meus familiares  eu sou a  “Alice no país das maravilhas” . Vivo assim o  tempo todo! Tudo para mim é bom! Enquanto todos acham caro e difícil eu dou um jeito e tudo acontece perfeito. Claro que isso é o Agir de Deus em minha Vida. 

 Outro forte motivo é ver minhas crianças desamparadas, sem escolas de qualidade, com pais desinteressados, vejo crianças de famílias abastadas e completamente abandonadas, sem amor, sem ilusão, sem fantasia! 

As menos favorecidas,  então  têm uma realidade dura! Nunca mais na minha vida quero ouvir uma criança me dizer: Tia Lucinha eu morro de vontade de ter uma arma AR 15 ! Foi horrível, comecei a trabalhar a cabecinha dele e não foi difícil ele deixar de desejar um ou uma AR 15 e desejar ser... “um escritor”. Claro que chorei!   

SELMO VASCONCELLOS - Quais os escritores e poetas que você admira?

LUCINHA LIMA – Eu admiro! Todos os escritores que levam mensagens em seus escritos!

Adoro Cora Coralina – 

“O que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada.Caminhando e semeando, no fim terás o que colher”.

“Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina”  

Gosto muito de Florbela Espanca, “Versos que te Fiz” e Mário de Sá Carneiro com “Dispersão” rasgando seu coração, mostrando sua tremenda angústia e dor, muito triste. Um poeta que se foi tão cedo!! Poderia ter deixado mais tesouros poéticos para nós!

SELMO VASCONCELLOS - Qual mensagem de incentivo você daria para os novos escritores?

LUCINHA LIMA – Mensagem para novos escritores: 

Pensem muito bem o que irão escrever, cuidado com as palavras elas têm poder, procurem ser educativos passar sentimentos bons e dizer sempre não à violência.

 

 

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Guilhermina Coimbra

A MAIORIDADE PENAL NO MUNDO Profa. Guilhermina Coimbra* Ao redor do mundo desenvolvido – justamente, porque são desenvolvidos e porque não dispensam o super desenvolvimento – as penalidades para o criminoso menor são duramente aplicadas e a maioridade penal é cada vez menor. Coincidentemente – ou nem tão coincidentemente assim – Brasil, Colômbia, México e Peru mantém, há décadas, status petrificado de países eternamente “em desenvolvimento”. Coincidentemente, ou nem tão coincidentemente assim, também, os países acima, principalmente, o Brasil - por ter o território fértil de minérios geradores de energia - tem sido alvo de uma cobiça desmesurada desde o Governo do Presidente Getúlio Vargas. A população brasileira percebe fazer parte das táticas e estratégias de dominação dos interessados nas referidas fontes, tornar o país ingovernável pelos nacionais brasileiros através do descontrole de crimes e criminosos, pelas autoridades brasileiras. A população brasileira observa e imputa a responsabilidade de manter os menores no crime - livres das penalidades imputadas aos adultos - aos que trabalham para alcançar no Brasil, os objetivos das interessadas Metrópoles. Impossível entender a ignorância das autoridades - que se propuseram aos cargos diretamente ligados ao poder de decidir a política relativamente aos criminosos menores de idade - sobre política e a conduta dos Estados ao redor do mundo, sobre o referido tema. Difícil acreditar que as autoridades ignorem a maioridade penal dos diversos e desenvolvidos países ao redor do mundo. PAÍSES QUE ADOTAM A MAIORIDADE PENAL DE 7 AOS 12 ANOS DE IDADE: - EUA, maioridade penal para crimes federais é 11 anos e nos Estados-membros Norte-Americanos a maioridade penal varia de 7 a 12 anos; - Reino Unido, a maioridade penal é 12 anos – excetuando a Inglaterra, onde a maioridade penal é de 10 anos. PAÍSES QUE ADOTAM A MAIORIDADE PENAL AOS 14 ANOS DE IDADE: - Espanha, Estônia, Rússia, China, Japão e Bolívia. A Bolívia baixou a maioridade penal de 16 para 14 anos em 2014. PAÍSES QUE ADOTAM A MAIORIDADE PENAL AOS 15 ANOS DE IDADE: -Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia adotam a maioridade penal aos 15 anos. PAÍSES QUE ADOTAM A MAIORIDADE PENAL AOS 16 ANOS DE IDADE: -Argentina, Bélgica, Chile, Portugal adotam a maioridade penal aos 16 anos. PAÍSES QUE ADOTAM DIFERENTES MAIORIDADES PENAIS DEPENDENDO DO CRIME PRATICADO: - na Nova Zelândia são três as maioridades penais: 10, 12 e 14 anos;- no Irã, a maioridade penal é de 15 anos para meninos e 9 anos para as meninas; -na Rússia a maioridade penal é de 16 anos para crimes leves e 14 anos para assassinato, estupro, etc.. (Fonte: Wikipedia/English). O raciocínio dos legisladores dos Estados desenvolvidos é o de que se um indivíduo estupra e mata é porque é adulto. O raciocínio é lógico e de inteligência mediana: não é necessário ter Mestrado, Doutorado e nem ser Phd em Direito Penal, para entender e aceitar como correto, o referido raciocínio. É de interesse dos menores serem informados: - somente eles, os menores criminosos serão os arduamente penalizados, privados da liberdade, das brincadeiras, das escolas, do convívio com a família, amigos e colegas – quaisquer que tenham sido os mandantes. O que interessa à população brasileira é a certeza de que menores deixam de ser menores a partir da prática do crime e a existência de punição enérgica para menores criminosos. Os contribuintes brasileiros aguardam o fim desse descalabro, relativamente aos crimes perversamente cometidos por menores de idade no Brasil. Os contribuintes brasileiros aguardam a mudança da vigente legislação relativamente aos crimes perversamente cometidos por menores de idade no Brasil - verdadeiro escárnio às vítimas e aos residentes no Brasil. Envergonhem-se autoridades brasileiras pela incompetência – na melhor das hipóteses – de impedir os crimes cometidos por menores, diariamente noticiados na mídia nacional e internacional. **Curriculum Lattes, Pesquisadora/Parecerista: SIAPE-CNPq, FGV/Revista de Direito Administrativo, Revista Direito à Sustentabilidade/UNIOESTE, Foz do Iguaçu.

Publicidade

Veja também