Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Literatura > OS JUDEUS QUE CONSTRUÍRAM O BRASIL

OS JUDEUS QUE CONSTRUÍRAM O BRASIL

Literatura por Betty Silberstein em 2016-03-13 15:11:52

               

Baseado na pesquisa de fontes inquisitoriais inéditas, que trazem informações sobre a vida social, política e econômica do período colonial, o livro Os Judeus que construíram o Brasil, de Anita Novinsky, Daniela Levy, Eneida Ribeiro e Lina Gorenstein, foi lançado em São Paulo, na Livraria Cultura. A obra busca apresentar uma nova visão deste importantíssimo capítulo da história do Brasil e abre capítulos praticamente desconhecidos: a história dos cristãos-novos.

Sobre o livro

A saída dos judeus da Espanha e a sua conversão ao Catolicismo representa uma nova era na história de Portugal e Espanha. Durante três séculos, marcou a história da evolução da Península Ibérica.

As consequências da instituição do Tribunal do Santo Ofício da Inquisição, da Expulsão dos judeus da Espanha e da Conversão Forçada em Portugal trouxeram drásticas consequências para a vida Ibérica. A longo prazo, arruinaram o comércio português, fazendo emigrar do Reino os mais prestigiosos elementos, prejudicando por muitos anos, a produção nacional, destruindo famílias e negócios. A cultura judaica, florescente na Península Ibérica até o século XV, apagou-se e Portugal submergiu nas trevas da ignorância.

Mitos e lendas tradicionalmente repetidos são apresentados desprovidos de seus ornamentos. A realidade brasileira desfaz o secular mito sobre a aversão dos judeus pelo trabalho agrícola. A fidelidade dos conversos na Bahia contra os holandeses em 1630, a política de Alexandre de Gusmão, Raposo Tavares, entre outros, revelam as mentiras que estigmatizaram os judeus e seus descendentes através dos tempos.

Os conversos desempenharam no Brasil um importante papel no desenvolvimento econômico e financeiro, através do comércio internacional, abriram novas perspectivas, tornando-se pioneiros no desenvolvimento do capitalismo comercial brasileiro. Segundo os cronistas da época, ¾ da população colonial era constituída por cristãos novos, proprietários de largas extensões do território brasileiro.

Sobre os paulistas, inimigos da Espanha, e sobre o ataque das Bandeiras contra as Missões Jesuíticas, temos novas e surpreendentes informações que alteram a versão apontada pela historiografia tradicional, que explica o conflito baseado em interesses econômicos.

A Inquisição perseguiu milhares de brasileiros, destruindo diversas gerações. Alguns conseguiram escapar, infiltrando-se no sertão. Mas, apesar das amargas experiências infringidas aos cristãos novos pela Inquisição, o Brasil era para esse grupo a “Terra da liberdade”, a “Nova Canaã”.

 

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também