Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Eventos > O sonho olímpico das ginastas do Centro de Ginástica Laura Seixas em Niterói será realizado. Confira.

O sonho olímpico das ginastas do Centro de Ginástica Laura Seixas em Niterói será realizado. Confira.

Eventos por Alberto Araújo em 2016-07-22 11:02:32

                

NITERÓI PRESENTE NA OLIMPÍADA - Um grupo seleto de 14 ginastas do Centro de Ginástica Laura Seixas, credenciado pelo Comitê Olímpico Internacional, e com o aval da Direção do Abel, fará apresentações durante os intervalos de jogos da Olimpíada e da Paraolimpíada. O grupo passou por uma avaliação do COI e foi credenciado por sua qualidade e competência. Parabéns meninas! Parabéns Profª. Laura Seixas! Sucesso! Espera-se divulgação e, também, algum tipo de apoio da Prefeitura Municipal uma vez que o grupo levará ao alto a nossa cidade na Olimpíada e será o único grupo que terá visibilidade durante os jogos e competições.

 

Professora do colégio Abel há 34 anos e tetra campeã brasileira de ginástica, Laura Seixas diz que, além das intenções profissionais, a atividade é muito rica para o desenvolvimento da criança.

A ginástica estimula o dinamismo, a musicalidade e a flexibilidade. Trabalha, inclusive, a educação alimentar. Toda escola deveria oferecer esse tipo de proposta”, disse.

Para fugir da falta de patrocínios, Laura lançou uma proposta diferente: pais de alunos pagam para eles competirem fora do Brasil.

O Gymnaestrada, por exemplo, ela participa desde 1999. “Já passamos por Portugal em 2003, Áustria em 2007, Suíça em 2011 e em 2015 fomos para a Finlândia”, conta, lembrando que, se é para disputar em alto rendimento, que a referência sejam os melhores.

Além das aulas nas escolas, em Niterói há vários Centros de Treinamento que preparam atletas. Em Piratininga, o CWB Ginástica faz um belo trabalho nesse sentido. Assim como acontece com os ‘olheiros’ no futebol, uma comissão visita escolas em busca de talentos do esporte.

 

Diretor e coordenador do CWB, Fellipe Venturino já bancou do próprio bolso a participação de alunos em campeonatos. “Oferecemos bolsas para algumas crianças, mas não é o bastante. Era preciso mais investimento público e privado. Tem aluno que pode pagar, mas alguns sequer têm dinheiro para o uniforme", diz Fellipe.


 

Elas irão entreter e encantar o público nas arquibancadas. Desde janeiro elas treinam para participar do evento.

Fomos convidados pela Federação Estadual de Ginástica no início do ano. Somos a única equipe de Niterói. Outras equipes do Brasil e do exterior também se apresentarão”, contou a professora do grupo, Laura Seixas.

 

Todas as meninas residem na cidade. Elas se apresentarão nos intervalos das competições de esgrima, badmington, taekwondo e box, que ocorrerão na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio. “Os organizadores pediram que houvesse um contraste. O público verá algo diferente do que é mostrado em cada jogo. As nossas apresentações serão com música e dança do folclore brasileiro, ao ritmo de xaxado, samba e forró”, explicou a professora.

As meninas treinam às segundas e quartas-feiras, das 18 às 20h30min. Seja com maiôs ou saias longas, elas giram o bambolê e as bolas, com bastante sincronia. Laura Nora, de 23 anos, que cursa Relações Institucionais na UFF, está empolgada. “Isso é uma notícia muito boa. Todo mundo está treinando bastante, embora as nossas apresentações não sejam voltadas à competição. É um sonho estar nos Jogos Olímpicos. Uma experiência única”, definiu a ginasta, que pratica o esporte desde os oito anos.

Bruna Lírio, 29, pratica a modalidade esportiva desde os 15 e está ansiosa. “Um orgulho para a gente participar deste evento, mesmo que não valha medalha”, afirmou.

Quem não puder assistir as apresentações nas Olimpíadas, poderá conferir uma amostra do que elas mostrarão no dia 1º de agosto, às 18 horas, na quadra do Centro Cultural La Salle, em Icaraí. A entrada é franca.

O grupo de Laura tem ao todo 90 participantes, com idades que variam dos 6 aos 30 anos. Existe há 35 anos, tempo em que é treinado pela professora. “Não treinamos para competição, só para apresentações. As competições são cruéis e a gente acaba tendo que tirar alguém. Eu gosto de incluir todos. Já participamos de edições mundiais de Gymnaestrada (apresentações de Ginástica Rítmica) na Suécia, Portugal, Áustria (duas vezes), Suíça e Finlândia.



FONTE:

Recebido por e-mail.

Reportagem de Paola Lucas

http://odia.ig.com.br/niteroi/2016-01-30/o-sonho-olimpico-acontece-na-escola.html






 

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também