Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Literatura > Convite para lançamento do livro Sangria e Pão Dormido do escritor Renato Augusto de Farias na Parthenon. Confira.

Convite para lançamento do livro Sangria e Pão Dormido do escritor Renato Augusto de Farias na Parthenon. Confira.

Literatura por Alberto Araújo em 2016-08-01 10:08:20

O ENCONTRO ENTRE AMIGOS acontece no dia 06 de agosto de 2016, das 10 às 13 horas, na Sede da Editora PARTHENON CENTRO DE ARTE E CULTURA, na Rua General Andrade Neves, 40 - Centro - Niterói - RJ - Brasil.

A obra é apresentada pela escritora Cristiana Seixas e publicada pela Editora – PARTHENON Centro de Arte e Cultura e contém 184 páginas.


A sessão de autógrafos será abrilhantada pelo Conjunto de Música de Câmera QUINTA JUSTA com arranjos clássicos de música popular.


O livro estará à venda por R$ 40,00 e a renda será em benefício do Lar da Caridade - Hospital do Fogo Selvagem de Uberaba - MG.


Visite o site: www.fogoselvagem.org



 


DO ENCONTRO E DA SANGRIA E PÃO DORMIDO


 


 


Prezado amigo foculista, o encontro entre amigos para celebrar a nova obra de Renato Augusto será brindado com um original "café da manhã", já assinalando com isso a criatividade deste poeta, amazonense de origem, radicado há anos nesta cidade.


Também o título da obra é diferente, bem original: Sangria e Pão dormido. Exprime a inventividade do autor, que cada vez mais se torna conhecido em Niterói pela arte da criação literária.


São conhecimentos de vida que se transformaram em prosas e versos nessa obra instigante.  Dotado de sabedoria e espírito reflexivo, Renato Augusto, formado em Letras (português-francês) nos informa que sangria é uma bebida feita com base numa mistura de vinho tinto ou vinho branco, pedaços de frutos e açúcar. Pode levar outras bebidas como aguardente. Deve ser bebida bem fresca. Mas o significado do termo, no contexto poético, torna-se figurativo, já que sangria designa passeios em fissuras íntimas de ações e sentimentos.


Ao falar de seu livro Sangria e Pão dormido, ele o transformou num veículo para revelar instantes “brotados de sua inesgotável inventividade" através de experimentos de vida que se decompuseram em prosas e versos.


De modo singular, a obra na introdução de Cristiana Seixas assinala em poema, situações cotidianas, demonstrando a forte presença da alma lírica do poeta, que a experiência exposta da trajetória é embebida de talento e adoçada pela sabedoria de Renato e os sentimentos, ternuras e reminiscências são pedaços de frutos misturados em um vinho de sabor agradável que você poderá beber agora enquanto ainda está fresco... Pode vestir seu Smoking para junto percorrer com Renato Augusto Farias de Carvalho em suas reminiscências além dos mares e apreciar as paisagens admiráveis de seus versos de alma ítalo-brasileira...


 


Apresentação:


 

 


Iluminuras ao entardecer de Cristiana Seixas.


Esculpido na artesania do verso e do reverso, o poeta decanta vozes na sangria dos reclamos do tempo. A engrenagem do crepúsculo pressente o sopro da noite, que aflora orvalhos, irrompe rios de saudade.  Renato menino embarca na canoa das lembranças e reacende o candeeiro de afetos.


Emana seu amor e ilumina irmãos, amigos, poesias que o sustentam: próprias e de alados aliados na arte de ampliar o que conta. O tom de despedida depura o licor de cada letra, oferecida como néctar para o leitor. Desejo e cio como pavio, que anseia pelo fogo para alongar sua fome incandescente. Versos que atravessam mares, conquistam novos ares, e vestem elegantes trajes italianos.


Empinado aos 80, por genuíno merecimento. Seu olhar maduro lavra um campo mágico para semear auroras. Busca por eternizar a sacralidade de bênçãos que recebeu no percurso. Encharca-se de ternuras, recolhe reminiscências para retornar a si. Diante da escuridão, inventa um farol no centro, para permitir desembarcar em sua terra fecunda: a escrita. Existência perpetuada a cada letra forjada por sua alma imperecível. Ler Renato é renascer em poesia.



     


Editado por:


Parthenon Centro de Arte e Cultura


Rua General Andrade Neves 40 – Centro


24210-000  -  Niterói – RJ


Tel.: 2722-2256


parthenon@parthenon.art.br  -  editora@parthenon.art.br


 

UM POUCO SOBRE O AUTOR

 


Renato Augusto Farias de Carvalho nasceu em Manaus/AM no dia 30 de junho de 1935. Em sua terra natal, estudou no Colégio Salesiano Dom Bosco. Na cidade do Rio de Janeiro/RJ, para onde se mudou em janeiro de 1952, continuou seus estudos no Colégio Andrews, tendo participado do Grêmio Acadêmico, que ajudou a fundar. No início de 1978, passou a residir em Niterói/RJ. 


Graduou-se em Letras (Língua e Literatura – Português/Francês) na então Faculdade de Humanidades Pedro II (FAHUPE). Pós-graduou-se em Administração Pública na Fundação Getúlio Vargas. Exerceu diversas funções e cargos na Previdência Social (Direção Geral – RJ), aposentado-se em 1989. Ocupante da cadeira nº 6 da Academia Niteroiense de Letras, também é membro do Cenáculo Fluminense de História e Letras e da Associação Niteroiense de Escritores.


Publicou os seguintes livros: Porto de Ocasos (ficção/memórias,1998, Editora Cromos). Poesia-do-que-eu-quis (poemas, 2002, Editora Cromos) e Vinho e Verso (poemas. 2005. Ed. Valer). Entre as diversas medalhas já recebidas, destacam-se a José Cândido de Carvalho (conferida pela Câmara Municipal de Niterói) e a do Mérito Cultural Belas Artes (conferida pala Associação Fluminense de Belas Artes). Participou, como entrevistado, do projeto “Personalidades de Niterói”, iniciativa da Associação Atlética do Banco do Brasil – AABB/Niterói. 

 

Autor dos enredos carnavalescos “Jorge Amado – do País do Carnaval à Tieta do Agreste” (1978) e “E agora malandro? – Você ganhou a loteria!” (1979), desenvolvidos para Escolas de Samba de Niterói, e de monografia sobre o Clube da Madrugada (movimento cultural de escritores amazonenses nos anos 1950). Das muitas palestras proferidas, destacam-se: “Teatros do Brasil” (participação de Beatriz Chacon e Thuany Feu de Carvalho), “Fagundes Varela”, “Cora Coralina e Manoel de Barros (participação de Gracinda Rosa e Lena Jesus Ponte), “Xavier Placer, 50 anos de literatura”, “Adelino Magalhães, e o pré-modernismo”, “Cora Coralina e Florbela Espanca, um encontro tão possível”, “Articulação poética aproximando Luiz Barcellar e Jorge Tufic” e “Lindalva Cruz e suas composições amazônicas”. 



É autor de contos e crônicas publicados em jornais e revistas e de alguns prefácios. Possui textos em antologias. Em 2012 publicou “...Haja, ainda, partículas de sol (poemas, Editora Nitpress).Em 2015 publicou Corrimão de Papel e 2016 Sangria e Pão dormido pela Editora Parthenon.


 


 

 

               

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também