Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Eventos > Prêmio Revelação em Finanças IBEF SP / KPMG de 2014

Prêmio Revelação em Finanças IBEF SP / KPMG de 2014

Eventos por Betty Silberstein em 2014-11-04 16:32:28
                

Prêmio Revelação em Finanças IBEF SP / KPMG de 2014

 

Considerado a mais importante iniciativa voltada a premiar trabalhos de inovação em finanças nos ambientes corporativos e acadêmicos, o Prêmio Revelação em Finanças IBEF SP/KPMG chega à sua 11ª edição, comemorando a entrega com almoço exclusivo no Hotel Unique, em São Paulo.

Esse Prêmio estimula a participação de jovens - com idade limite de 35 anos - para mostrarem seu talento para o mundo corporativo, na discussão de assuntos importantes da área financeira, na esfera empresarial e acadêmica, além de incentivá-los no desenvolvimento de uma carreira sólida e promissora.

A avaliação dos trabalhos foi orientada pelos seguintes critérios: autenticidade, criatividade, aplicabilidade e apresentação de resultados mensuráveis. As inovações devem ter caráter eminentemente pragmático e serem aplicáveis em empresa privada ou pública, organização não-governamental, órgão da administração pública ou instituição educacional.

Um trabalho individual e duas duplas chegaram à última etapa do Prêmio deste ano. Os finalistas apresentaram pessoalmente seus trabalhos para uma audiência composta por CFOs da banca examinadora, membros da Diretoria Executiva e dos Conselhos do IBEF SP:

Juliana Bertechini Lucas, 33 anos, coordenadora de gestão econômica da Cielo. Finalista pelo segundo ano consecutivo, ela apresentou o trabalho: “Desenvolvimento de Padrão para Análise Financeira de Projetos”.

Segundo Juliana, a Cielo gera mais de 100 projetos por ano e, devido à limitação de recursos (capacity e orçamento), surgiu a necessidade de uma análise mais apurada dos projetos para priorização daqueles que resultassem em maior valor à companhia. Com o apoio das lideranças, Finanças implantou um Padrão de Análise Financeira de Projetos.

“A grande inovação trazida por Finanças foi a mudança da cultura e da visão das áreas demandantes dos projetos”, explicou. Aplicada há um ano e meio, a inovação gerou aumento da assertividade de novos projetos, redução do tempo de espera, identificação de falhas nas premissas e ajustes no projeto desde o início, evitando perda de recursos.

 

Antônio Santos Pereira, 32 anos (analista de planejamento financeiro da Alpargatas) e Valéria Rodrigues Costa, 28 anos (também analista de planejamento financeiro da companhia). Apresentaram o trabalho: “Ciclo de conversão de Caixa (CCC)”.

“Caixa é um dos principais indicadores financeiros para qualquer companhia. Mostramos a metodologia diferenciada que a companhia utiliza para gerir o ciclo de conversão. É um método novo, aplicado há quatro anos, e que vem trazendo retornos muito lucrativos”, destacou Valéria.

Com a aplicação da metodologia, a Alpargatas conseguiu reduzir de 100 para um prazo de 60 dias o seu ciclo de conversão de caixa. E elevou o caixa de R$ 307 milhões em 2009 para R$ 814 milhões em 2013, dando suporte aos muitos projetos de expansão e internacionalização realizados pela companhia neste período.

A dupla ganhadora foi Wellyngton Ribeiro da Rocha, 29 anos (analista contábil sênior da Elektro) e Tássia Reis, 24 anos, (analista contábil plena da empresa). Foram responsáveis pelo trabalho: “Metodologia de Apropriação de Custos Adicionais em Obras de Infraestrutura do Setor de Energia Elétrica:  Workforce: based costing”.

“A motivação do nosso trabalho foi garantir a remuneração dos investimentos das empresas reguladas. Desenhamos uma metodologia em que fosse possível garantir a rastreabilidade dos custos diante da fiscalização de um órgão regulador”, explicou Rocha.

Segundo a dupla, um dos grandes objetivos foi eliminar qualquer subjetividade na análise dos investimentos. A iniciativa deu tão certo que, além de cumprir o objetivo proposto, gerou vários efeitos colaterais positivos: possibilitou à companhia financiar 100% de sua mão de obra alocada em investimento junto ao BNDES e a metodologia, já reconhecida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), entrará como referência no próximo manual para o setor elétrico.

Parabéns a Wellyngton Ribeiro da Rocha e Tássia Reis!

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também