Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Literatura > A grande ressaca

A grande ressaca

Literatura por Renata Barcellos em 2017-09-03 15:44:48

No país onde nasci, antes do fim do comunismo, era muito difícil conseguir fazer com que nossa palavra circulasse. Percebi ali que a palavra é uma forma de resistência, de se colocar contra a ditadura. A poesia era sempre mais forte que o poder. E, em um país onde não há liberdade, a cultura é um oxigênio social. Matéi Visniec

A peça A Grande Ressaca apresenta 11 comédias inusitadas da coletânea Cuidado com as velhinhas carentes e solitárias, de Matéi Visniec (Pense que você é Deus, Aqui estamos com milhares de cães vindos do mar, Um café longo, um pouco de leite separado e um copo d’água, A máquina de pagar contas, O país está consternado, Sanduíche de frango, A ferida, Espere o calorão passar, A volta para casa, A grande ressaca e Cuidado com as velhinhas carentes e solitárias, sob a direção de Fernando Philbert.

Matéi Visniec trata de um dos mais importantes temas relacionados à condição humana: o sentido da vida e da morte, o valor das coisas e das pessoas, a tensão entre indivíduo e sociedade. Nos textos, há o realismo fantástico e o humor inusitado do autor aproximando-o do estilo Ionesco, diz o diretor. Isso por dar continuidade ao gênero do teatro do absurdo. Como viveu sob a ditadura de Nicolae Ceausescu, aborda fatos históricos, como a Revolução Russa, ou o encontro de Beckett com seu mais famoso personagem, tema de  O Último Godot (1987), com uma pitada surrealista.

Matéi Visniec, romeno naturalizado francês, nasceu na Romênia em 1956, durante o período do Comunismo. Em 1987, saiu do país e se exilou na França. Segundo ele, em Paris, “comecei a trabalhar como jornalista na Rádio France International, e desde então concilio minhas atividades de jornalista e de dramaturgo. Um trabalho alimenta o outro. São duas formas de abordar o mundo.”  (https://oglobo.globo.com/sociedade/conte-algo-que-nao-sei/matei-visniec-jornalista-dramaturgo-preciso-acreditar-no-ser-humano-21766129#ixzz4rdn9WPNZ). É considerado o novo Ionesco por críticos europeus \\\"o mais sutil dos dramaturgos contemporâneos\\\". Em 2016, recebeu o Prêmio Jean Monnet de Literatura Europeia pelo livro O Negociante de Inícios de Romance.

Nas cenas da peça A Grande Ressaca, há humor ácido, questionamentos sociais e humanitários, além de reflexões sobre a condição humana. No palco, há doze atores (Allan Medeiros, Deborah Silveira, Djavan Fernandes, Gabi Soledade, Gonzalo Martinez Cortez, Lucas Gonjú, Marcelo Ferreira, Matheus Niquelatti, Nanda Teixeira, Otávio Tardelli, Relise Adami, Tadeu Azevedo) que se transformam através da caracterização da luz de Wilson Reiz e preparação corporal de Marina Salomon. Além dos personagens, o ator Djavan Fernandes toca sua guitarra ao vivo para sinalizar as transições das histórias.

O romeno Matéi Visniec tem sido um dos autores estrangeiros mais montados no Brasil. Aqui, em cartaz algumas vezes, recentemente,  em O corpo da mulher como Campo de Batalha, sobre os estupros na guerra da Bósnia.

Horários: Sextas, às 21h, sábados, às 20h e domingos, às 19h
Local: Cidade das Artes –  Av. das Américas, 5300 – Barra da Tijuca, Rio de Janeiro –  Sala Eletroacústica – 21 3325-0102
Duração: 80 minutos
Classificação: Livre
Gênero: Comédia

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também