Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Geral > Atentado de 11 de setembro: Gentilezas

Atentado de 11 de setembro: Gentilezas

Geral por Betty Silberstein em 2017-10-02 15:15:59


O Jornal Sem Fronteiras esteve no Canadá. E teve acesso a esta linda estória, na pequena cidade canadense de Gander, na Ilha de Terra Nova (Newfoundland), onde a tragédia de 11 de setembro demonstrou trazer o melhor das pessoas numa situação peculiar. Quem conta esta história é a Comandante Beverly Bass, que estava no meio do Atlântico, capitaneando um voo direto de Paris para Dallas-Fort Worth, da American Airlines. Chegaram notícias no rádio de cabine que um avião tinha atingido o World Trade Center. Ela e o copiloto assumiram que havia sido um acidente, algo estranho, dado o bom tempo em Nova York. Cerca de 20 minutos depois, o segundo avião bateu e, com isso, veio a palavra \"terrorismo\". Naquela altura, Beverly acha que, certamente, nem se sabia direito o que significava essa abominável palavra.

Quando o espaço aéreo dos EUA foi fechado, a Comandante recebeu ordens para desembarcar na minúscula cidade de Gander, aonde iria se juntar a 37 outros aviões comerciais desviados de suas respectivas rotas. Cerca de 7.000 passageiros chegaram na pequena cidade canadense, quase dobrando sua população. Passageiros e tripulações não podiam deixar suas aeronaves até o dia seguinte e ficaram confinados as 21 horas seguintes. Entretanto, os moradores de Gander foram fenomenais. Entregaram nos aviões o que fosse necessário, durante toda a noite: adesivos de nicotina, leite para bebês, fraldas. Mandaram aviar 2.000 receitas para pessoas que tinham despachado seus remédios na bagagem e não tinham acesso a isso.

Na manhã seguinte, quando, finalmente, puderam descer do avião, longas mesas de comida estavam montadas no aeroporto. Os moradores ficaram acordados a noite inteira, cozinhando para todos. Nos dias que se seguiram, enquanto esperavam pelo espaço aéreo dos EUA reabrirem, Gander tratou a cada um dos visitantes como família, abrindo suas casas e corações. As tripulações de voo ficaram em hotéis e escolas, enquanto a cidade converteu igrejas e ginásios em abrigos para os passageiros. Quando cheios, o povo de Gander abriu suas casas para abrigar estranhos e preparar milhares de refeições para todos.

Na manhã de 15 de setembro, os voos começaram a deixar o aeroporto de Gander para seus respectivos destinos.

Alguns anos depois, foi criado um musical baseado nas histórias daqueles passageiros e tripulantes que aterraram em Gander – Come from Away. Entre as músicas, está ‘Me and the Sky”, feito em homenagem à Comandante Beverly.

A Comandante já assistiu ao show 67 vezes, acompanhando as apresentações e dando testemunho do que aconteceu naqueles dias críticos nos confins do Canadá, pois sempre quis que o mundo soubesse sobre a generosidade e bondade dedicadas a todos que tiveram sua permanência forçada por alguns dias em Gander. O musical está, finalmente, permitindo que isso aconteça.


Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também