Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > Carmen F. Fonseca mostra suas obras na pintura, em seu poema e como bailarina

Carmen F. Fonseca mostra suas obras na pintura, em seu poema e como bailarina

Cultura por em 2017-12-14 00:13:57

A MULTIPLICIDADE DA ARTE

Carmen F. Fonseca mostra suas obras na pintura, em seu poema e como bailarina, se apresentando agora, 15 de dezembro de 2017, no Teatro Paulo Eiró.

“Caminhando pela Arte” é aexposição, que se inicia com o quadro Rosa Botão, um técnica mista de um giclée da obraRosa, óleo sobre tela, onde a artista reconstruiu a rosa e a folha em relevos, como no quadro original, uma de suas mais importantes obras, e acrescentou pinceladas a óleo. Essa obra representa, primeiro, o renascimento da artista... e depois, seu amor por São Paulo, pelo ballet, pela arte.

E, entre as obras, “a bailarina branca, meu ser, meu personagem maior, minha forma de vida, minha alma, minhasobrevivência, eu”, diz Carmen.

Essa comemoração faz parte da homenagem Magaly 60 anos. Com seus colegas e ex-colegas de ballet, Carmen estará representando, no espetáculo Gerações, para o evento de 60 anos dedicados à dança, plantando sementes no campo da arte, de Magaly Bueno.

Uma Mestra de vanguarda, de visão, guerreira, que desbravou campos dentro da dança.Foi a 1º professora de escolas de ballet, ainda não bem conhecidas no mundo da dança, que conseguiu apresentar-se no Teatro Municipal de São Paulo, com orquestra e músicas criadas por Tibor Reisner, maestro húngaro,dedicadas aos seus bailados.

Montou duas turnês pela Europa, levando tons brasileiros a várias cidades da Alemanha, Suíça, Bélgica e Luxemburgo, incluindo programas de TV.

O grupo “Brasilien Singt und Tanzt” era aplaudido de pé, em todas as cidades pelas quais passava.

Carmen, na Europa, completou seus 14 e 16 anos de idade, comemorados em palcos alemães, com grandes e calorosas recepções pelas famílias que a acolhiam em suas residências, e a escolhiam para estar recebendo-a nessas datas.

Após anos de ballet, Carmen deixou de lado esse seu amor, para se dedicar a um outro lado profissional, onde se tornou nutricionista, projetista e pós-graduada em marketing, desenvolvendo por muitos anos trabalhos nesta área.

Até que a arte chamou-a novamente, e ela dedicou-se, então, à pintura e, mais recentemente, voltando ao ballet.

E lembra: “a Magaly colocou motos 750 cc nos palcos, nos anos 70. Além de balões dirigíveis, escorregadores para Bach, e tantas outras coisas,...”

E Carmen participou de tudo isso. Feliz, vivendo a bailarina que sempre existiu dentro dela. Aos 14 anos, já dava aulas de ballet para crianças e montava espetáculos infantis.

Carmen levou o Brasil a Europa com o ballet. Quer, agora, levar sua arte ao mundo, com a sua pintura, como já vem fazendo e ganhando até medalha de ouro na França, com seu Projeto São Paulo – Sampa Nova Visão.

Agora Carmen iniciou esse movimento Magaly 60 anos para sua “Mãe Bailarina”, como diz ela, “e criei o logotipo comemorativo, em rosa e azul, cores tradicionais e clássicas no ballet, escrito em prateado e dourado, cores nobres e utilizadas para os troféus, ganhados durante toda sua vida. E isso, contrastado com a vanguarda da bailarina, em posição ‘en face’, quando se mostra, se abre para o público, e olha de frente para ele”, completa Carmen.

O tema desse movimento Magaly 60 anos, é a multiplicidade de dons, talentos que um artista pode ter. E que, a partir das sementes plantadas com o ballet, com a Magaly, puderam despertar nele outros e novos dons, tal como Carmen F. Fonseca, agora, também pintora.                      

Haverá espetáculos:

 - 15.12 - # SEXTA DA DANÇA – Teatro Paulo Eiró

Das 10 às 22 h, uma ação cultural beneficente, aonde, durante todo odia, poderão ser vistos: a exposição de obras a óleo de Carmen F. Fonseca, com o título “Caminhando pela Arte”, a exposição de figurinos de Amarilis Arruda, e ondeocorrerão palestras, aulas, ensaios abertos ao público e, ao final, o espetáculo de ballet.

Neste espetáculoestarão se apresentando ex-alunas da Magaly, que geraram frutos dentro do ballet, e hoje comandam escolas e grupos de dança, espalhados por aí.

O balletGerações fechará o espetáculo,representando grupos de seis décadas de ballet, e dançadoporbailarinas de várias décadas da carreira da Magaly.

A entrada é 1 kg de alimento não perecível ou um brinquedo.Av. Adolfo Pinheiro, 765, Santo Amaro

- 17.12 – BALLET MAGALY – Teatro Brigadeiro

A abertura será com o ballet Gerações, com bailarinas de várias décadas da carreira de Magaly. E haverá, também, a apresentação do bailado Alice no País das Maravilhas, com toda a escola Ballet Magaly.

Av. Brigadeiro Luís Antônio, nº 884 - Bela Vista

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também