Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > Trintões e Solteiros

Trintões e Solteiros

Cultura por Renata Barcellos em 2019-01-12 05:52:56
A comédia Trintões e Solteiros trata os dilemas de muitas pessoas não só desta faixa etária e deste estado civil no mundo contemporâneo regado com muito humor. Os temas abordados são: amor, julgamento equivocado, encontros e desencontros, padrões da mulher e do homem, buscas afetivas e sexualidade. É uma peça para rir, indentificar-se se for o caso e refletir sobre relacionamento: as escolhas, forma como convivemos, interagimos com o outro... Como diz o narrador "a tendência foi sempre complicar. Feliz é quem sempre se permite conhecer o outro. Se colocar no lugar do outro. Ser feliz". 
Gargalhadas são garantidas com certeza. Tive o prazer de assistir ontem, na estreia. Teatro cheio de pessoas de idades diversas. Aliás, antes da peça, o que me despertou atenção foi o fato de o público ter faixa etária maior. Todos rimos e muito seja por identificação seja por reconhecer o comportamento de alguém com quem conviivemos. Vale a pena conferir!!!
Logo que entrei no teatro e sentei-me na primeira fila, imediatamente, percebi os livros no cenário. Já fiquei mais intrigada com a abordagem do texto de Fabrisio Coelho, também diretor da peça. E louca para saber a autoria das obras. Com o início da peça, verifiquei serem de Martha Medeiros, autora de diversas obras como Divã, Doidas e Santas e Feliz Por Nada e colunista da revista de domingo do jornal O Globo, de cujos textos sou leitora voraz. 
A sinopse da peça é Carlos (bonito, inteligente, sensível e delicado) e Luciana (mulher "furacão", fala sem parar, impulsiva, e completamente obcecada por sexo),  se conhecem num lançamento de livro de Martha Medeiros. Da parte dele, ocorre o despertar, o interesse afetivo; já da parte dela, devido à educação e à sensibilidade do rapaz, tratava-se de uma boa amizade com um amigo homossexual. A partir deste encontro, é proposto uma reflexão comportamental sobre os padrões estabelecidos de homem e mulher, as buscas amorosas e o equívoco de acreditar em esteriótipos. A atriz  Izabella Guedes desaca-se no papel de Luciana por ser ela responsável por falas ilárias como " Ninguém me olha, ninguém me come; mundo careta, falta piroca, ninguém sabe quem é viado; você quer dar e não tem quem comer, se eu quiser dar no primeiro encontro, dou muito! Dou horrores". Cabe destacar a atuação dos atores: muito boa para a proposta. Leonardo Gutierrez, como Carlos, também imprimiu o tom para interpretar o homem sensível, mas, muitas vezes, hoje, confundido com homosexual. E sua fala de mais destaque "primeiro tempo? Eu achei que foi o campeonato inteiro". (rs - haja fôlego com a insaciável). 
A construção da narrativa de Fabrisio Coelho (autor também de outros textos excelentes como 3 Mulheres e 1 Destino e Os inocentes de Ipanema) traz um diferencial: além do casal em cena, há um narrador ( Jefferson Jima) que tece considerações a cada esquete como se fossem apelos para que nós, enquanto plateia, refletíssemos sobre como temos gerenciado nossas vidas. Por exemplo: "Desde quando ser bom e magro é certificado para felicidade?, sociedade exige ser feliz o tempo todo, padrões impostos pela sociedade hipócrita, a vida é assim : cabe a nós que caminho seguir, loteria o mundo da sexualidade, seguir, ser feliz e gozar, o bom da vida ser feliz e o grande segredo é viver".  Todas essas considerações e outras levam o público à reflexão. Cabe destacar também a seleção das músicas (repertório variado de Chico Buarque a Ludimila) adequadas ao contexto abordado, um tempero a mais para as cenas do casal sobretudo a que sugeria o ato sexual. As alusões feitas de Hitler a Mahatma Gandhi para abordar o bom e o ruim e ao ditado baiano "Quem tem fome, tem pressa", as metáforas como "barraca armando, fechar o parlamento. Poder de um golpe". Parabéns pelo texto!!!!
Do mais, fica a dica para assistirem a comédia. Riso do início ao fim. E a mensagem de que relacionamento é loteria, prestar atenção a quem está ao nosso redor e, muitas vezs, não enxergamos que a felicidade está ali, ao nosso lado, cabe a nós sermos felizes porque esta é a grande razão de nossa existência. Sejamos FELIZES !!! VIVAMOS A VIDA!!! 

SERVIÇO

Gênero: Comédia

Classificação: Livre

Texto e direção: Fabrisio Coelho

Elenco: Leonardo Gutierrez, Izabella Guedes e Jefferson Jima

Som e Luz: Anauã Vilhena

Produção geral: Clécio Ferreira

Figurino: Coletivo

Local: Memorial Getúlio Vargas

Sala Zaíra de Oliveira

Praça Luiz de Camões, Gloria (Frente ao Hotel Glória)

100 metros do metrô Gloria

Telefone (reservas): 2205-8191/98246-4006

Sextas às 19h

Até 22/02


Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também