Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > DR. WALDENIR DE BRAGANÇA É ELEITO POR UNANIMIDADE, PRESIDENTE DA UBT - UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES DE NITERÓI

DR. WALDENIR DE BRAGANÇA É ELEITO POR UNANIMIDADE, PRESIDENTE DA UBT - UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES DE NITERÓI

Cultura por Alberto Araújo em 2019-03-18 22:35:03

Os membros vitalícios da UBT - União Brasileira de Trovadores elegeram em 18 de março de 2019-segunda-feira, o novo presidente para preencher o quadro administrativo da instituição. O acadêmico eleito foi o intelectual, Dr. Waldenir de Bragança, que administrará a entidade durante o biênio 2019/2020.

O Novo presidente conduzirá a instituição ao lado das acadêmicas: Alba Helena Correa - Vice-presidente; Leda Mendes Jorge - Secretária Geral; Dulce Mattos - Tesoureira. 


Após ser eleito, o presidente Dr. Waldenir de Bragança afirmou a todos os associados, que tem em mente, mil ideias, criará muitos acontecimentos especiais, concursos e eventos literários, fará muitas homenagens às personalidades fluminenses. Isso mesmo, o presidente tem muitas ideias boas. Também não deixará de promover importantes almoços. Disse que serão mesmo, muitas comemorações especiais a serem realizadas durante a sua gestão.


Como é maravilhoso, saber dessas ações culturais, como é importante a gente ter pela frente um ativista dedicado e sério. Além de tudo, certamente, trará muitos benefícios à instituição. Esta revista o parabeniza efusivamente, e desde já, deseja enorme sucesso em sua gestão a frente da UBT de Niterói.


Não podemos deixar de enviar UM ESPECIAL CUMPRIMENTO AO EX-PRESIDENTE SÁVIO SOARES DE SOUSA, que administrou a instituição com garra e afinco. Todos nós sabemos de suas limitações, devido a sua avançada idade, mas enquanto administrou a instituição, empenhou-se bastante, e juntamente, com a acadêmica Alba Helena Correa fez o que estava ao seu alcance, durante o período que ficou à frente da instituição.


UM POUCO SOBRE WALDENIR DE BRAGANÇA


WALDENIR DE BRAGANÇA nasceu em Araruama - RJ em 17 de julho de 1931, é um médico, advogado, professor, escritor, acadêmico e fundador de diversas instituições como a Academia de Medicina do estado do Rio de Janeiro, Academia Nacional de Medicina, Rotary Clube Niterói Norte, UNIVERTI (Universidade da Terceira Idade), político brasileiro, prefeito da cidade de Niterói de 1983 a 1988, foi colaborador do Rotary Club Internacional em Niterói e Presidente do Conselho Deliberativo (no triênio 2006-2009) da Associação Brasileira de Municípios (ABM). É considerado um dos melhores prefeitos que já administrou o município de Niterói, em face dos êxitos alcançados em situação de penúria financeira e atraso estrutural.


Filho de Vergílio Bragança Quintanilha e Eulália da Silveira Bragança. Estudou o primário no Grupo Escolar Aníbal Benévolo, o secundário no Colégio Brasil e formou-se em Medicina em 1956 pela Universidade Federal Fluminense (UFF), tendo posteriormente atuado como professor titular da Faculdade de Medicina e Escola de Serviço Social da UFF de 1959 até 1996.


Casou-se em 1/09/1956 com Maria Eliza Ranzeiro de Bragança com quem teve cinco filhos: Fernando, Célia Regina, Ana Lúcia, Luiz Antônio e Silvia Helena, sendo que três deles seguiram o mesmo caminho paterno pela medicina.

Atuou como médico sanitarista no Ministério da Saúde de 1957 até 1975, sendo designado pela instituição para fazer o primeiro levantamento das condições de saúde da nova Capital, Brasília em 1961. Foi presidente da Academia de Medicina do Estado do Rio de Janeiro - ACAMERJ de 1986 até 1988; presidente da Associação Médica Fluminense - AMF de 1968 até 1971 e presidente da Associação Fluminense de Reabilitação de 1972 até 1974.


Assumiu entre 1974 e 1975 a Secretaria de Saúde e Assistência de Niterói acumulando nesse mesmo período a presidência do Rotary Club de Niterói-Norte. Foi eleito deputado estadual do Rio de Janeiro de 1978 até 1982 e posteriormente foi eleito prefeito de Niterói exercendo este mandato no período de 1983 a 1988.


Foi presidente da Federação Brasileira de Academias de Medicina de 1998 até 2000 e posteriormente, formou-se, em advocacia pela Faculdade de Direito da UNIVERSO, em 2001.


É Presidente da Academia Fluminense de Letras - AFL desde 2011, ocupando tão importante posição no ano do centenário desta academia sediada na cidade de Niterói (2017).


Eleito o Intelectual do Ano Fluminense em 2011 e neste mesmo ano foi o relator do Memorial para Oficialização do Idioma Português na ONU, levado à sede da organização, em Nova York, em 27 de maio de 2011.

Autor das publicações: "Terceiridade", "Marketing Social - Relevância e Resultados", "A Origem do Ensino Médico no Brasil", "O Brasil na OMS Através de Marcolino Candau"; co-autor de "Aborto e o Direito à Vida" (Prêmio Genival Londres pela Academia Nacional de Medicina) entre outras.


Agraciado com a "Medalha Hipócrates" pela Federação Nacional de História da Medicina e Ciências, "Medalha do Mérito" pelo Instituto Hahnemanniano do Brasil,"Medalha Amicitio" pelo Lions Club International, "Comenda" da Ordem Internacional dos Jornalistas, "Ordem do Mérito Judiciário" pelo Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, "Medalha Tamandaré" pela Marinha de Guerra do Brasil, "Medalha do Pacificador" pelo Ministério do Exército, "Medalha Tiradentes" pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, "Medalha Carlos Chagas" pela Academia de Medicina de Minas Gerais, "Medalha José Clemente" e "Medalha Escritor José Cândido de Carvalho" pela Câmara Municipal de Niterói, "Grã-Cruz da Ordem do Mérito Arariboia" pela Prefeitura Municipal de Niterói, entre outras.

É Cidadão Honorário de Niterói, Vassouras, Nilópolis, Santo Antônio de Pádua, Rio Claro, Magé e Itaperuna.


Presidiu e organizou congressos, jornadas, seminários médicos e culturais e participou de vários eventos nacionais e internacionais sobre Medicina, Saúde e Bem-Estar Social.


Em 2017 organizou o I Congresso Brasileiro das Academias de Letras realizado entre 20 e 22 de julho de 2017 cujo tema “Educação, Cultura e Ética.” reuniu cerca de 150 participantes representando as diversas Academias do país. Ao final do evento foi formulada a Carta de Educação, Cultura e Ética de Niterói com várias proposições para valorização da língua portuguesa.





CRÉDITO DAS IMAGENS:
MURILO LIMA - FOTÓGRAFO

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também