Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Eventos > POESIA SONORA

POESIA SONORA

Eventos por Renata Barcellos em 2019-03-24 14:26:30

Sexta-feira, dia 22 de março, houve o instigante evento “POESIA SONORA”, na Sala de Leitura, no Centro Cultural Justiça Federal, às 19 horas. A idealização foi do multiartista Tchello d’Barros e a cerimonalista foi eu, Renata Barcellos, em nome do Museu da Poesia Visual e do Instituto Imersão Latina.

O encontro iniciou por volta das 19:20 com o agradecimento à presença de todos os presentes e participantes e à Agripina Rosa, responsável pela Sala de Leitura juntamente com a Geralda. Cabe ressaltar que propostas como esta tem o propósito de reunir poetas, críticos, teóricos, editores, curadores, professores, jornalistas, artistas visuais e interessados em geral para discutir aspectos atuais da produção nacional e internacional da Poesia. Isso com foco em vertentes menos estudadas, como a poesia visual, a poesia sonora e a poesia experimental como um todo. O foco deste é a POESIA SONORA.

A noite iniciou com a experimentação poético-sonora-bilíngue: “Sirens” e “Scenarium”, definida como textos que buscam salientar a (trans)sonoridade nas entrelínguas de consagrados recursos poéticos como a aliteração, a assonância, o ritmo e a rima, entre outros. Marco Alexandre de Oliveira, o Gringo Carioca, foi o responsável pela bela performance “Transsonoridade”.

Em seguida, foi realizada uma homenagem a artista visual e poeta experiemntal Regina Pouchain, por sua trajetória na Poesia Experimental, por sua dedicação e tenacidade, por seu exemplo de que estudo e senso estético podem caminhar de mãos dadas, por sua interação nas ações coletivas, por seu exemplo do qual intelectualidade e expressão pictórica podem se fundir para formar opiniões mais conscientes. Foi apresentada pelo poeta Jorge Ventura. Ela agradeceu o reconhecimento e apresentou sua última obra. Muito simpática, terminou sua fala apresentando uma breve experimentação sonora.

 

Após a apresentação da homenageada, iniciou-se o momento da bela Sessão de Poesia com a participação de atores, atrizes, artistas do palco e da tela atuantes também na cena literária com sua produção autoral em poesia. Foi uma noite realmente de um mergulho no mundo das letras, de inebriamento com: o ator integrante do grupo Dizzy Croquete e poeta BAYARD TONELLY, o ator dedicado à arte da performance e poeta JORGE PIRI, o ator participante de inúmeros saraus e autor do recente livro de poemas “Palavra e Poesia” e poeta JORGE VENTURA, a cantora e poeta, doutorada em Literatura, autora do recente livro de poemas “Borboletas de Papel”, LILI BALONECKER, o idealizador do projeto Rio de Versos e autor do recente livro de poemas “Tráficos Utópicos”, dentre outros, SADY BIANCHIN, dentre outros.

Após esse momento de contemplação, a esclarecedora palestra sobre Poesia Sonora com BRENDA MARQUES PENA. Ela foi muito didática na sua apresentação. Apresentou alguns exemplos. Ela veio de Belo Horizonte para este encontro. Mestre em Literatura pela UFMG e pré-doutoranda, jornalista e escritora de Prosa e Poesia com diversos livros publicados, com destaque para o recente “Tsunâmica”. Editora antologista e fundadora do Instituto Imersão Latina, com projetos culturais realizados em diversos países.

Em seguida, um debate sobre a temática iniciada por Jorge Ventura. Se não fosse o horário de encerramento do evento e de fechamento do CCJF, com certeza, teriam sido horas de reflexão. Para finalizar, houve a sessão de autógrafos. E, neste momento, concomitante a esta atividade, fotos e interação. Evidente que a noite não finalizou aí. A discussão cultural terminou em uma enorme mesa de bar com boa parte dos participantes a fim de continuar a calorosa discussão sobre literatura e seus nossos rumos. Que venham mais eventos como este para contribuição ao nosso atual cenário cultural! Evoé! Parabéns a todos os participantes!

 

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também