Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > Os Inocentes de Ipanema

Os Inocentes de Ipanema

Cultura por Renata Barcellos em 2019-05-01 08:55:35

Os Inocentes de Ipanema é um divertido espetáculo baseado no livro do simpático e atencioso diretor  Fabrisio Coelho. Esta temporada é no Castelinho do Flamengo. Vale a pena prestigiar não só o trabalho cuja temática é o encontro de quatro irmãos no velório da mãe como também o espaço, a bela arquitetura. Urge o governo preservar uma das mais belas construções do Rio de Janeiro.
O cenário é composto de um caixão, cadeiras e um painel com belas fotos do elenco em diferentes cenas. O enredo trata-se da morte da Matriarca Brenda de Cândida, moradora de Ipanema e do reencontro dos quatro irmãos depois de 15 anos. Os quatro atores em cena (Rita Luz, Jefferson Jima, Susana Savedra, Leonardo Gutierrez) representam muito bem cada um de seus personagens com suas personalidades distintas no qual cada um fez sua opções de vida. O texto de Fabrisio Coelho contempla questões inerentes ao núcleo familiar (seus conflitos) e propicia reflexões acerca inicialmente da instituição família, sua atual configuração, opção sexual, casamento falido, adoção, relação mãe e filhos e irmãos, corrupção entre outros. Há uma frase presente em várias cenas “me aceita que dói menos” a fim de reforçar a importância e o respeito à  diversidade. No meio do drama, há uma surpreendente revelação na qual também aborda um fato relevante socialmente. Isso tudo regado ao humor. Ri-se do início ao fim. Sai-se de “alma lavada” e pensando temáticas de uma sociedade cada vez mais egocêntrica e, por conseqüência, sem laços oriundos de relações líquidas segundo Bauman. Para o filósofo e sociólogo, em Modernidade Líquida: sobre a fragilidade dos laços humanos, a modernidade “líquida em que vivemos traz consigo uma misteriosa fragilidade dos laços humanos – um amor líquido. A segurança inspirada por essa condição estimula desejos conflitantes de estreitar esses laços e ao mesmo tempo mantê-los frouxos”.
Vale ressaltar também o fato do texto ser híbrido. Dentro da narrativa, para quebrar a dramaticidade, um dos recursos utilizados são as músicas como Swing da Cor, de Daniela Mercury e Cálice de Chico Buarque. Além do testamento, cuja leitura revelou vários segredos da família e, por consequência, desencadeou todos os diálogos.
 
Castelinho do Flamengo
Praia do Flamengo 158
100m da estação do metrô Largo do Machado
Texto e direção: Fabrisio Coelho
Elenco: Rita Luz, Jefferson Jima, Susana Savedra, Leonardo Gutierrez

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também