Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > QUANDO AS PESSOAS ANDAM EM CÍRCULOS

QUANDO AS PESSOAS ANDAM EM CÍRCULOS

Cultura por Renata Barcellos em 2019-10-30 18:20:02

Quando as pessoas andam em círculos é o mais novo espetáculo da premiada Artesanal Cia. de Teatro cujos temas abordados são os dilemas da juventude atual: angústias, medos, preconceito racial, orientação sexual e abuso sexual. Sob a bela direção de Gustavo Bicalho e Henrique Gonçalves, através desses, reflete-se sobre essas questões e como o jovem lida com as incertezas e inseguranças do mundo contemporâneo. O elenco é constituído por estes talentosos jovens atores: Bruno Jablonski, Ciro Acioli, Gabriel Rochlin, Igor Orlando, Isis Pessino, Júlia Bruck, Leonardo Bianchi e Mag Pastori. Os personagens são tratados por estereótipos, e a trama acontece em uma “balada”, onde os envolvidos precisam enfrentar questões pessoais as quais desencadeiam tensões e ameaças constantes. Concomitantemente, há a iminência de um atentado terrorista no qual põe em risco a segurança de todos os presentes na festa. Cabe destacar a metáfora da “onda” utilizada ao longo do texto e retomada para encerrar a peça: “A onda vem. Abro os braços....”.

O texto reflexivo com situações típicas do universo jovem é a primeira parceria de Gustavo Bicalho com o ator, diretor e roteirista Daniel Belmonte. Segundo este,  é “ágil, instigante e inovador, que não oferece respostas prontas e propõe uma reflexão mais profunda sobre os temas apresentados”. As diversas abordagens visam apresentar como a juventude está “doente”, como estão se sentindo. Por exemplo: “ Eu sou um merda. Essa merda de mundo”, “prefiro ter um filho morto do que viado”, “o medo não sai de mim”. Para isso, há questionamentos ao longo da narrativa como: “Você acha que uma música pode definir minha sexualidade?”, “Sabe o que é vergonha de ter vergonha?”, “Será que eu sei onde estou agora”, “Por que você está me olhando, seu viado?”, “Não é para isso que toda mulher serve?”...

Vale destacar que, para a elaboração do texto, foram realizadas pesquisas pelos escritores e diretores das obras dos dramaturgos Simon Stephens (de “Punk Rock, The Curious Incident of the Dog in the Night-Time” – sobre o livro homônimo de Mark Haddon) e Matéi Visniec (“O desaparecimento de um anão de jardim”, “O corpo da mulher como campo de batalha”). De acordo com Henrique Gonçalves, a peça “traça uma radiografia forte da juventude que toma remédio para ansiedade e depressão, a chamada ‘juventude prozac’, e tem receio de tudo: de tomar decisões, dos percalços corriqueiros da vida, de relacionamentos, de olho no olho. Sem mitos que o ajude (o jovem) a construir sua personalidade, ele deve lidar com a complexidade dos tempos atuais, assolado pela angústia e solidão crescentes”.

 Vale a pena assistir ao espetáculo para conscientizar-se sobre tudo o que aflige os jovens contemporâneos e está ao redor deles. É proporcionado à plateia diversas situações  vivenciadas por eles, a fim de levar à reflexão. Por exemplo: quem são eles?, o que querem?  E como lidar com esta juventude e orientá-los para não enveredarem-se no universo do crime, gravidez precoce, envolvimento com drogas... Urge uma mudança no tratamento dos jovens de hoje. Estão conectados mas solitários. Falta a muitos os laços familiares, atenção, carinho, serem "vistos" e, de fato, inseridos no ambiente familiar. 

Parabéns à  Artesanal Cia de Teatro pelo belo trabalho. É preciso discutir as temáticas envoltas a este universo nas escolas, nos teatros, no cinema... 

Sobre a Artesanal Cia de Teatro

 Desde a fundação em 1995, a Artesanal Cia. de Teatro recebe diversas indicações, premiações e o reconhecimento pela imprensa, público e crítica especializada. A linguagem trabalhada é inovadora e contemporânea. Vem investindo em pesquisa para o teatro jovem-adulto, fundamentando-se em um intenso estudo da dramaturgia e das encenações realizadas no resto do mundo para esta faixa etária, preenchendo uma lacuna existente de trabalhos desenvolvidos com profundidade e seriedade para esta parcela do público. 

FICHA TÉCNICA

Dramaturgia e texto: Daniel Belmonte e Gustavo Bicalho

Direção: Gustavo Bicalho e Henrique Gonçalves

Elenco: Bruno Jablonski, Ciro Acioli, Gabriel Rochlin , Igor Orlando, Isis Pessino, Júlia

Bruck, Leonardo Bianchi e Mag Pastori

Direção de produção: Henrique Gonçalves

Pesquisa musical: Gustavo Bicalho

Produção: Daniel Belmonte

Direção de movimento e preparação corporal: Paulo Mazzoni

Preparação vocal: Verônica Machado

Cenário: Karlla de Luca

Figurinos: Fernanda Sabino e Henrique Gonçalves

Fotos do projeto: João Pacca

Fotos de cena: Andrea Nestrea

Desenho de luz: Rodrigo Belay

Desenho de som: Luciano Siqueira

Realização: Artesanal Cia. de Teatro

Temporada: de 3 de outubro a 25 de novembro de 2019.

Dias e horários: de quinta a segunda, às 19h30

Local: CCBB Rio – Teatro II (Rua Primeiro de Março, 66 – Centro).

Informações: 3808-2020.

Duração: 70 min.

Classificação indicativa: 16 anos.

 

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também