Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Cultura > 1º Concurso de Redação da Coordenação Regional de Ensino da cidade de Taguatinga - DF

1º Concurso de Redação da Coordenação Regional de Ensino da cidade de Taguatinga - DF

Cultura por Dinorá Couto Cançado em 2019-11-07 19:24:41

Funcionários inclusivos da Biblioteca Braille Dorina Nowill, vizinha ao Teatro da Praça, local  que sediou uma bela cerimônia, compareceram, inspirando o poeta e professor Ivan Silveira Braga à produção de uma crônica, postada, na íntegra, ao final do relato de Cíntia Couto Cançado,  idealizadora do referido concurso.

 “Dia 4 de novembro de 2019, 16 horas, foi realizado a Cerimônia de Premiação do 1º Concurso de Redação da Coordenação Regional de Ensino da cidade de Taguatinga-DF. O Concurso teve como tema a frase do patrono da Educação Paulo Freire “não há saber mais ou saber menos: há saberes diferentes”.  Participaram 58 alunos de 19 escolas públicas da cidade nas seguintes categorias: poema (4º  e 5º  anos), narrativa (6º  e 7º  anos), conto (8º  e 9º  anos) e crônica (ensino médio). Na premiação, que ocorreu no Teatro da Praça, estiveram presentes o coordenador da Regional de Ensino, Sr. Juscelino Carvalho; a gerente de políticas de leitura , Sra. Sônia Soares; o Gerente de Cultura de Taguatinga, Sr. Marco Gomes; e equipe da UNIEB - Unidade Regional de Educação Básica, coordenada pela Sra. Sirlene Reis Landim.  A banda estudantil 4 por 4, do CEMTN  abrilhantou o evento com suas músicas. Muita emoção marcou o momento de entrega dos prêmios. As famílias, professores, coordenadores e direção vibraram bastante com a felicidade dos estudantes. Receberam certificados, medalhas, kit de papelaria e livros. A escola campeã recebeu um lindo troféu. Ao final, todos se confraternizaram num delicioso coquetel patrocinado pelo Banco BRB - agência Taguatinga Centro. A coordenadora do livro e biblioteca de Taguatinga, Cíntia Couto Cançado, fez um agradecimento especial aos coordenadores locais e aos servidores atuantes em bibliotecas escolares que incentivaram e promoveram o concurso em suas unidades, firmando o compromisso de participação no concurso em 2020.

O poeta inclusivo Ivan Silveira Braga nos brinda com sua bela produção inspiradora: 

             “Crônica De Um Concurso Educativo

             Acabo de voltar da Bahia brejeira de Senhora Santana Grande. Parte de mim ainda se encontra por lá. Meu coração tá no meio do mato. Minha cabeça tá no meio do gado.

            Escuto o sertão por dentro e por fora. Vejo suas entranhas. Sou quase todo ouvidos. Sou muitos olhos. Vejo minha Mãe descendo e subindo a ladeira da Estrela do Norte.

              Agora, sinto, escuto e vejo Leonna, Dinorá, Noeme e toda minha querida casa brilhante - nossa Biblioteca Braille Dorina Nowill. Quem ama mora bem. Enxerga longe. Aprendi a ver com os olhos do corpo, da mente, do coração e da alma, aprendi com os amigos cegos, amigos de sempre para sempre.

                        Quatro horas da tarde, música no Teatro vizinho, grande festa das letras, das palavras. A gente é essa alegria pulando alto no planalto central da Educação. Evento maravilhoso promovido pela CRET. Parabéns, professora Cíntia!

                        Parabéns, Taguatinga-DF. Parabéns, Brasília. Parabéns, Brasil. Que festa linda!

                        Os estudantes premiados representam, estimulam e fortalecem toda a comunidade que estuda, ama aprender e ama ensinar. E ama a gloriosa convivência com os sábios. Assim seja. Redação é carta da alma. Presta atenção.

Espia só que luz. Cada letra é uma estrela.

                        Clareando a imensidão do misterioso e tão estranho ser humano. Festa boa. Olhar brilhando no mais animado fim de tarde. Alunos, pais, professores, amigos da escola, amigos da vida em comunicação e expressão, tudo e todo mundo em expansão.

                        Superconsciências felizes demais da conta. Autoconsciências  suando ternura pelos poros. O chefe-de-cerimônia, muito ligado, chegado da poesia, cria um clima muito bacana, familiar. Que bom. Eu me lembro do meu 3° lugar no Concurso Literário da E.I.T. dos anos 70. Bem aqui.

                        Tô vendo Taís Helena, a professora de português. Glorinha, a professora de Inglês.

                        Professora Cíntia, este raro momento de pura Poesia, pode acreditar, me transporta para o melhor do meu ser. Para o simples encantamento doce da vida. Assim seja.

                        Marquinhos, o nosso mestre da Tecnologia Inclusiva, gosta, adora e comenta, calorosamente, sobre a valorização e o reconhecimento dos nossos queridos estudantes.

                        Aqui uma grande família da educação se sente unida e bem feliz. Obrigado. Muito obrigado. Este fim-de-tarde vai demorar bonito por muito tempo em nossas vidas. Isso sempre acontece quando o estado de poesia é vivido e compartilhado na sua plenitude. Estado amoroso da alma. Assim seja.”

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também