Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Literatura > Projeto brasiliense é premiado em Direitos Humanos

Projeto brasiliense é premiado em Direitos Humanos

Literatura por Dinorá Couto Cançado em 2019-12-04 19:34:14

No 8º Prêmio AMAERJ Patricia Acioli de Direitos Humanos, no Rio de Janeiro,  a colocação de cada finalista foi conhecida na cerimônia de premiação, que aconteceu  no dia 02 de dezembro de 2019, às 18h, no Tribunal Pleno do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, à  Rua Dom Manuel, s/n, 10º andar, Centro, Rio de Janeiro. Acompanhada da filha Cíntia Couto Cançado lá estava a bondespachense/brasiliense Dinorá Couto num dos mais belos auditórios já vistos.
A cerimônia de premiação do 8º Prêmio Patrícia Acioli de Direitos Humanos contou com  os 18 finalistas, selecionados que  concorreram nas categorias Trabalhos dos Magistrados, Reportagens Jornalísticas, Práticas Humanísticas e Trabalhos Acadêmicos.
Na categoria Trabalhos dos Magistrados, os três primeiros colocados foram premiados com troféus. Nas demais categorias, os três primeiros colocados também receberam troféus e uma quantia diferenciada. Os outros finalistas foram homenageados com Menções Honrosas. 
Sobre o Prêmio Patrícia Acioli de Direitos Humanos  que foi criado em 2012,  a premiação celebra a memória da juíza Patrícia Acioli. Titular da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, ela foi morta em 2011, em Niterói, por policiais militares. Além de homenagear Patrícia Acioli, o Prêmio tem o objetivo de identificar, disseminar e estimular a realização de ações em prol dos direitos humanos.
O Prêmio teve o apoio do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, da EMERJ (Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro) e da Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) e patrocínio da ANOREG/RJ (Associação dos Notários e Registradores do Estado do Rio de Janeiro), da Multiplan, da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) e do jornal “O Dia”.
Na categoria Práticas Humanísticas, Dinorá Couto Cançado,  representando Brasília, ficou em 3º lugar com projeto que desenvolve, voluntariamente, na Biblioteca Braille Dorina Nowill, há 25 anos,  o Luz & Autor em Braille que, há 3 anos, teve um desdobramento incrível, além-fronteiras, nascendo a 1ª Academia Inclusiva de Autores Brasilienses - AIAB. Nessa grande cerimônia de premiação, Dinorá teve muitas trocas significativas, como a Dra Deborah Prates, deficiente visual que concorreu em trabalhos acadêmicos, apresentando a AIAB e sua logomarca já a convidando para tomar posse numa próxima oportunidade.  Conheceu também professoras da Barra/RJ, que ficaram em 2º lugar, também na categoria práticas humanísticas, com doação de  suas obras da nova série “Por um mundo melhor”. Fez questão de conhecer vários finalistas e autoridades presentes como a juíza que dirigiu a cerimônia,  Presidente da AMAERJ e presidente eleita da AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros), Renata Gil,  que em seu pronunciamento destacou que o objetivo do Prêmio é “trazer luz para as pessoas que precisam ser enxergadas pela sociedade”. O Projeto Luz & Autor em Braille, mais uma vez, foi reconhecido como valoroso em nosso país, com ramificações pelo mundo.


Contatos: Fone 55-61-999701366
academiainclusivabrasiliense@gmail.com
bibliobraille@gmail.com
dinoracouto@gmail.com

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também