Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Geral > Prêmio Shell de Teatro SP

Prêmio Shell de Teatro SP

Geral por Betty Silberstein em 2015-03-19 20:45:59

                

27ª edição do Prêmio Shell de Teatro SP

 

O Prêmio Shell de Teatro (criado em 1989) tornou-se uma das mais tradicionais premiações da cena teatral brasileira. Sua 27ª edição (laureando os melhores dos palcos de São Paulo na temporada de 2014) reuniu boa parte da classe teatral paulistana, no espaço Villa Vérico, na Vila Olímpia.

Em cada edição do prêmio são divulgadas duas listas de indicados ao longo do ano, com as peças que estrearam no primeiro e segundo semestres.

A cerimônia foi apresentada por Mariana Lima, eleita melhor atriz na edição de 2011 da premiação, por sua atuação em “Pterodátilos”.  

Foram consagrados os trabalhos de profissionais em nove categorias: Autor, Diretor, Ator, Atriz, Cenário, Iluminação, Música, Figurino e Inovação. Os vencedores receberam uma escultura em metal do artista plástico Domenico Calabroni, com a forma de uma concha dourada, inspirada no logotipo da Shell, e uma premiação individual de R$ 8.000,00.  

O júri de São Paulo foi formado por Carlos Colabrone, Evaristo Martins de Azevedo, Lúcia Camargo, Mário Bolognesi e Renata Melo. O grande homenageado da noite foi César Vieira pela trajetória artística junto ao Teatro União e Olho Vivo e a atuação política na defesa da classe teatral.

 

Lista completa de indicados ao 27º Prêmio Shell de Teatro de São Paulo:

 

Autor:

Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, por “Pessoas Perfeitas”

Leonardo Cortez, por “Madito Benefício”

Sérgio Roveri, por “Os que vêm com a maré”

Vinicius Calderoni, por “Não nem nada”

 

Direção:

Eric Lenate, por “Sit Down Drama”

Guilherme Leme, por “Trágica.3”

Marco Antônio Pâmio, por “Assim é (se lhe parece)”

Silvana Garcia, por “Não vejo Moscou da janela do meu quarto”

 

Ator:

Luciano Chirolli, por “Gotas d’água sobre pedras escaldantes”

Roney Facchini, por “Ou você poderia me beijar”

Rubens Caribé, por “Assim é (se lhe parece)”

Washington Luiz, por “Marica”

 

Atriz:

Clara Carvalho, por “Ou você poderia me beijar”

Denise Del Vecchio, “Trágica.3”

Gilda Nomacci, por “Gotas d’agua sobre pedras escaldantes”

Renata Gaspar, por “Não nem nada”


Cenário:

André Cortez, por “Gotas d’agua sobre pedras escaldantes”

Marco Lima, por “Caros Ouvintes”

Marco Lima, por “Vidas Privadas”

Zé Valdir e Marcelo Lazzaratto, por “Maldito Benefício”

Figurino:

Fábio Namatame, por “Caros Ouvintes”

Gabriel Villela e José Rosa, por “Um Réquiem para Antonio”

Glória Coelho, por “Trágica.3”

Sonia Ushiyama, por “Pessoas perfeitas”

Iluminação:

Beto Bruel, por “Não vejo Moscou da janela do meu quarto”

Beto de Faria, por “Rózà”

Caetano Vilela, por “Assim é (se lhe parece)”

Tomás Ribas, por “Trágica.3”

 

Música:

Fernando Alves Pinto, Letícia Sabatella e Marcello H, por “Trágica.3”

Jonatan Harold, por “Florilégio musical II, nas ondas do rádio”

Luiz Gayotto e Lincoln Antonio, por “Fausto”

Ricardo Severo, por “Caros Ouvintes”

 

Inovação:

Cia Pessoal do Faraoeste, pelo trabalho de ocupação e intervenção social e artística que contribui para a transformação e revitalização urbanas da região da Luz.

Projeto Vira-Latas de Aluguel, pela projeção, capacitação e acessibilidade da linguagem teatral na comunidade de Heliópolis.

FOTO: Chananda Bento, Rosa Borges, Patrícia Estrella e Mara Cédro

 

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também