Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Eventos > Grande fotógrafo internacional dos escritores já está em Belo Horizonte

Grande fotógrafo internacional dos escritores já está em Belo Horizonte

Eventos por em 2015-06-23 13:47:46

A Fundação Municipal de Cultura se prepara para dar início ao primeiro Festival Literário Internacional de Belo Horizonte. De 25 a 28 de junho, o Parque Municipal, o Teatro Francisco Nunes e o Palácio das Artes, entre outros espaços espalhados pela cidade, receberão uma grande variedade de atividades e nomes de peso da literatura internacional. Uma das atrações é a exposição Cidades Escritas, em que o argentino Daniel Mordzinski mostra seu trabalho fotográfico que revela os bastidores dos grandes escritores do mundo.

A exposição reúne fotos de escritores e suas cidades, tiradas por Mordzinski ao longo de sua trajetória profissional, tem textos de Afonso Borges. Serão 30 fotografias, entre imagens de cidades e de escritores,  expostas no Largo do Teatro Francisco Nunes e outras fotografias, impressas em tamanho grande, que estarão instaladas nas grades externas do parque, chamando a atenção de quem passa na calçada da avenida Afonso Pena.  Alguns dos escritores  retratados são: Gabriel Garcia Marquez, Luis Sepulveda, Mario Vargas Llosa, José Saramago, Jorge Luis Borges e Adriana Lisboa.

Dentre tantos nomes da história da literatura internacional, a poeta mineira Ana Martins Marques também foi registrada pelas lentes de Mordzinski. Para a exposição, especialmente pensada para o FLI-BH, o fotógrafo escolheu a escritora mineira. A foto estará na exposição ao lado de tantos outros nomes de peso. 

Ana conta sobre como foi esta experiência “Toda foto é resultado de um encontro, e o encontro com Daniel Mordzinski foi para mim muito especial.Antes da sessão de fotografias, conversamos muito, andamos pelo centro da cidade: as fotos foram uma espécie de prolongamento da conversa, de extensão da caminhada. Sendo um “fotógrafo de escritores”, ele parece entender a fotografia como um fragmento de uma narrativa, uma pequena história. Tenho a impressão de que ele captou rapidamente um certo modo de “mostrar-se escondendo-se” em que reconheço alguma coisa minha, talvez também alguma coisa da minha escrita – que, para minha surpresa, ele já conhecia bem.” 

Nascido na Argentina e radicado em Paris, Mordzinski dedica-se há mais de trinta anos a retratar escritores e escritoras pelo mundo, em busca de compor um verdadeiro “atlas humano da literatura”. Suas fotos já foram veiculadas em veículos como Le Monde e El País, e expostas em diversos países, como Itália, Espanha, Portugal, Alemanha, Inglaterra, Grécia, França, Mexico, Colômbia, Argentina, etc.

Além da exposição, fazem parte da programação FLI-BH mais de 200 atividades, entre conferências, palestras, mesas de debate, sessões de autógrafos, exposições, teatro, música, cinema, performances, intervenções urbanas, oficinas, entrevistas, saraus, narrações de histórias e, principalmente, muitos encontros. Mais de 100 artistas ligados à literatura compõem a grade.  
Todas as atividades são gratuitas. As palestras e conferências terão tradução em LIBRAS. 

A programação completa pode ser acessada em www.flibh.com.br

Grandes nomes da literatura nacional e internacional

Entre os escritores, vale destacar a presença dos premiados Milton Hatoum, Ana Miranda, Elisa Lucinda, Marina Colasanti, Humberto Werneck, Eric Nepomuceno, Ana Martins Marques, Chacal, Carlos de Brito e Mello e Luiz Ruffato, além dos estrangeiros Yolanda Reyes (Colômbia), Inês Pedrosa (Portugal), Juan Pablo Villalobos (Espanha) e Teresa Cárdenas (Cuba). 

O escritor Milton Hatoum abre a noite do Festival, com uma conferência que leva o mesmo nome do tema do FLI-BH Imagina o Mundo, imagina a cidade. Com mediação de Maria Esther Maciel, a conferência contará com participação especial dos irmãos quadrinistas Fábio Moon e Gabriel Bá. 

Milton Hatoum é dos maiores escritores brasileiros da contemporaneidade. Publicou Relato de um certo oriente (vencedor do Prêmio Jabuti de Melhor Romance do Ano / 1989),Dois irmãos (vencedor do Prêmio Jabuti de Melhor Romance do Ano / 2001), Cinzas do norte (prêmios Jabuti, Bravo!, APCA e Portugal Telecom), Órfãos do eldorado e Um solitário à espreita, todos pela Companhia das Letras. Seus romances foram traduzidos em 14 línguas e publicados em 17 países. 

Fábio Moon e Gabriel Bá são quadrinistas paulistanos, irmãos gêmeos, que há vinte anos vêm produzindo quadrinhos para o mercado brasileiro e internacional. Autores da premiada série Daytripper (vencedora do Eisner Award - o principal no universo dos quadrinhos) e das adaptações para os quadrinhos dos romances \"O Alienista\", de Machado de Assis, e \"Dois Irmãos\", de Milton Hatoum, (Editora Quadrinhos na Cia). 

Parceria Sesc \\ Encerramento FLI

O Sesc é grande parceiro do FLI-BH, com programação de narrações de história, mesa de debate e também a apresentação musical que fechará o festival: o espetáculo de José Miguel Wisnik com Ná Ozzetti. O show faz parte do projeto Literaturas: questões do nosso tempo, do Sesc Palladium; e está inserido na Circula Cultura, parceria entre o Sesc e a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura. No CD e no show Ná e Zé, estão presentes Fernando Pessoa, Oswald de Andrade, Paulo Leminski e Cacaso. As relações entre palavra e música serão objeto de considerações ao longo do show, sem que este deixe de ser, em nenhum momento, um espetáculo musical no sentido pleno da expressão, contemplando a profunda relação entre poesia e canção no Brasil. 

Além deste projeto, mais outras duas atividades do Sesc estarão no FLI-BH. O A palavra é… traz uma proposta de encontros de literatura e outras áreas do conhecimento para discutir, a cada edição, os significados e usos de determinadas palavras da língua portuguesa. Já o Contação de Histórias contribui para a transmissão da literatura oral e promoção de atividades relacionadas à leitura. São apresentadas fábulas, contos populares ou folclóricos, contos e cantigas infantis, de modo a instigar a imaginação, a fantasia, ao mesmo tempo em que diverte, entretém, ensina e educa. Para mais informações sobre esses projetos, acesse www.sescmg.com.br.

Números do FLI-BH

103 ações Pré FLI-BH

118 escritores/ pesquisadores / artistas 

60 lançamentos de livros

34 mesas/palestras

40 rodas de leitura e narrações de histórias

14 espetáculos / performances / saraus

14 filmes na mostra Interseções: Cinema e Literatura

11 oficinas especializadas

17 oficinas de sensibilização

3 exposições

2 feiras de livros

2 praças e 1 feira de alimentação

Campanha de arrecadação de livros

COMPARTILHE A LEITURA. DOE UM LIVRO. Este é o mote da campanha de arrecadação de livros que a Fundação Municipal de Cultura promove até o próximo dia 28, nos Centros Culturais e de Referência, Bibliotecas, Museu Histórico Abílio Barreto, e na sede da própria Fundação, na Rua da Bahia. No Parque Municipal, durante o Festival, também haverá arrecadação. O objetivo é mobilizar a cidade em torno da importância da literatura e da circulação de livros. O destino dos livros arrecadados na campanha será as bibliotecas comunitárias de BH, além de pontos de ônibus da cidade, para integrar o Projeto Ponto do Livro.

Primavera da Libre

Parceira importante na realização do 1º FLI-BH, a LIBRE - Liga Brasileira de Editores traz pela primeira vez a Belo Horizonte a sua Primavera, que é uma feira de livros realizada por editores de pequeno e médio portes que oferecem ao público descontos de até 50% sobre o preço de capa do livro. A feira será realizada nos dias do festival, 25 a 28 de junho, e estará aberta de 9h às 22h, no Parque Municipal
Política pública

A primeira edição do FLI-BH se junta ao FIT (Festival Internacional de Teatro), FAN (Festival de Arte Negra), FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos) e Virada Cultural e passa a integrar o calendário de grandes eventos promovidos pela Fundação Municipal de Cultura. O Festival, que está no Plano de Governo do prefeito Marcio Lacerda, tem como objetivo contribuir para a valorização da literatura junto à população e aos visitantes da cidade, para a formação de leitores literários, bem como conferir visibilidade a escritores, ilustradores e profissionais que se dedicam a essa linguagem. 

O festival é a culminância das políticas culturais de fomento à escrita literária, traduzido nos prêmios Cidade de Belo Horizonte e João-de-Barro, e das atividades e serviços desenvolvidos durante todo o ano pelas bibliotecas públicas da Fundação Municipal de Cultura, pretende, também, divulgar a produção literária da cidade ao lado das produções nacional e internacional, e promover o diálogo entre a literatura e outras linguagens artísticas.

fonte FMC -   foto divulgação




Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também