Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Artes Plásticas > Mega Artesanal 2015 revela:

Mega Artesanal 2015 revela:

Artes Plásticas por Betty Silberstein em 2015-07-21 15:56:25

                  

 

Cerca de cem mil pessoas visitaram a feira de produtos e técnicas para artes e artesanato que reuniu cerca de 300 expositores entre as principais marcas da indústria e do comércio, artistas e artesãos consagrados. Mais de dez mil cursos e demonstrações grátis foram ministrados por dia, confirmando interesse do visitante em se reciclar ou aprender uma técnica para usar a arte manual como fonte de renda.

 

 

São Paulo, julho de 2015 – Quando disse que há vários brasis dentro do Brasil, o antropólogo, escritor e educador Darcy Ribeiro não podia imaginar que sua constatação explicaria o sucesso da 15ª edição da Mega Artesanal, Feira de Produtos e Técnicas de Artes Manuais e Artesanato, que aconteceu de 30 de junho a 05 de julho, em São Paulo. O Brasil que se viu durante a Feira foi criativo, alegre, colorido, preocupado com a sustentabilidade e com vontade de aprender, trabalhar, contribuir e se superar. De terça-feira, 30/06, quando a Mega Artesanal abriu para lojistas, até 17h de domingo, 05/07, quando milhares de pessoas ignoraram que a Feira tinha acabado e continuaram fazendo cursos de capacitação, assistindo a demonstrações, procurando novidades, o clima foi de oportunidade e não de crise. Inflação, desemprego, violência, crise política e econômica ficaram do lado de fora do São Paulo Expo. Lá dentro, cerca de cem mil visitantes procuravam se reciclar ou aprender alguma técnica para, de forma econômica e sustentável, produzir algo com suas próprias mãos para seu próprio uso, para presentear amigos ou a família, como terapia, para aumentar a renda da família ou até para ser a única fonte de renda.

 “A oferta de cursos e  demonstrações sempre foi o ponto forte da Mega Artesanal. A educação é a base de tudo e não seria diferente no mundo das artes manuais. A cada edição, capacitamos milhares de pessoas, que voltam para suas casas com a autoestima renovada e prontas para colocar em prática alguma técnica aprendida na feira”, diz Rita Mazzotti, diretora da WR São Paulo, organizadora da Mega Artesanal. “Esse ano, com a crise econômica e o desemprego, a procura aumentou cerca de 20%. O artesanato é a forma mais rápida, econômica e prazerosa de gerar renda extra, pois o artesão pode começar com pouco material e se dedicar ao que lhe dá prazer”, explica Rita.

Essa foi a fórmula que o rei dos sabonetes, Peter Paiva, passou para os milhares de visitantes que lotaram suas apresentações. “Quando eu comecei não tinha dinheiro algum para investir. Ao contrário, tinha dívidas. Isso me fez ter foco, ser criativo e buscar soluções econômicas. A palha das embalagens, por exemplo, eu pedia para os feirantes. Eles montavam as barracas de frutas e eu levava a palha embora para poder entregar minhas encomendas”, lembra Peter. Hoje, além de lojas próprias, ele tem pontos de venda em todo o país, dá cursos inclusive fora do Brasil e, só para a Mega Artesanal, preparou 5 toneladas de sabonetes.

            Poucos recursos, muita criatividade e consciência social e ambiental foram a tônica de praticamente todos os trezentos expositores da Mega Artesanal. A designer Mel Chung, por exemplo, certificada com o selo verde, precisou apenas de uma mesa para expor suas bijuterias feitas, por exemplo, com cápsulas de café expresso e embaladas com restos de caixas de leite e suco. Na Casa Mega, também chamou atenção o quarto montado pelo designer Marcos Novak, que usou caixotes de madeira e fitas para criar uma estante, o banheiro masculino da arquiteta Flávia Terzi, que usou pneus para fazer a pia e garrafas para fazer o box, e a cozinha montada pelas Confeiteiras Arteiras, que usaram técnicas e produtos artesanais para renovar o ambiente, entre outros tantos exemplos de reaproveitamento.

As exposições também já são marca registrada da Mega Artesanal. Esse ano foram 11, o que reforça o aspecto cultural do evento. A Mega consegue reunir em um mesmo local a pintura surrealista de Evandro Schiavone, o scrap, a técnica de oshibana de Mirian Tatsumi, os trabalhos de patchwork feitos por artistas de todo o país com curadoria de Ciça Mora e muito mais. “O Brasil é muito rico e a Mega Artesanal cede espaço para várias manifestações artísticas. É uma satisfação enorme ver o interesse do público pelas exposições”, diz Rita.

Enfim, foi um evento maravilhoso. Quem perdeu... programe-se para não faltar no ano que vem!

E parabéns à WR pela excelente organização!

 

 

FOTO: Durante todos os dias, as filas que se formaram antes mesmo da abertura dos portões, às 11h, já demonstravam o que estava por vir: muita gente animada. Mais de 100 mil visitantes estiveram na edição de 2015. 

 

Mais informações: www.wrsaopaulo.com.br

 

Sobre a WR São Paulo Sobre a WR São Paulo - Especializada na promoção e organização de Feiras e Congressos, nacionais e internacionais, iniciou suas atividades em 1992, com a realização de eventos para o setor florestal. Em 2003, entrou no setor de arte, artesanato e artes manuais e, desde então, responde pela realização das principais feiras da área, como Mega Artesanal, Brazil Scrapbooking Show, Brazil Patchwork Show, Scrap & Arte Brasília, Artes nas Gerais, Artesanal Porto Alegre e Patch & Arte. Em 2014, organizou a Artesanal Confeitaria & Festa, que acontecerá novamente em 2015. Em 2015, e em parceria com a Burda Brasil, realizou a Burda Expo, primeira feira de costura doméstica do Brasil.

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também