Rede Mídia de Comunicação | Rede Sem Fronteiras

Você está em: Início > Notícias > Literatura > Maria dos Prazeres

Maria dos Prazeres

Literatura por Renata Barcellos em 2020-04-25 11:10:23

Ontem, dia 29 de agosto, tive a satisfação de assistir à peça Maria dos Prazeres. Trata-se de um belo monólogo baseado no conto “María dos Prazeres”, de Gabriel García Márquez, do livro Doze Contos Peregrinos (1992), com direção de Ivan Andrade e atuação de Maristela Chelala.

A atriz Maristela Chella inicia o espetáculo mencionando a questão da morte. Narra um sonho sobre o tema e de como a partir dele pôde entender a última etapa a qual chegamos, depois de passarmos pelos diversos ciclos da vida. Em seguida, fez analogia com a relação atriz e público, a fim de expressar que a distância entre eles com a atual situação: a pandemia também simboliza “estar longe de quem se ama”. De acordo com a atriz, o texto foi escolhido por dois motivos: a primeira é a coincidência de dos Prazeres ser de Manaus como ela e também de terem sido criadas pelas avós; a segunda é o fato de os romances do escritor serem mais lidos e comentados do que seus contos.

A atuação da atriz Maristela Chelala é excelente. Transmite veracidade ao narrar a história de Dos Prazeres, uma imigrante mulata brasileira, nascida em Manaus, que fez a vida em Barcelona. Aos 76 anos, ela recebe um sinal em sonho e dá início aos preparativos de seu próprio funeral. A narrativa inicia quando Maria dos Prazeres recebe em sua casa um jovem vendedor de sepulturas. A personagem teve um sonho cujo significado para ela era sua própria morte. Por isso, queria deixar tudo pronto para quando a “Indesejada das gentes” chegasse, já que vivia sozinha, apenas em companhia de seu cão, Nui.

Como tinha medo de que sua sepultura fosse levada pelas chuvas, escolheu o cemitério de Montjuich para sua última morada, localizado em um lugar elevado de Barcelona, o monte Montjuich. Logo, na entrada do cemitério, havia três túmulos de anarquistas em cujas lápides não constava nome algum. Mas os visitantes sempre escreviam, com qualquer material, o nome dos anarquistas sepultados e os vigias apagavam-nos. No dia seguinte, algum visitante se encarregava de escrever de novo.

Maria dos Prazeres tinha uma situação econômica estável (os anos de exercício diário da profissão lhe garantiram uma velhice tranquila). Semanalmente, recebia a visita de um antigo cliente, o conde Cardona, com quem jantava. E, depois, “faziam de cor um amor sedentário que deixava, nos dois, um sentimento de desastre”. Como este relacionamento terminou? Só assistindo à peça.

Cabe ressaltar o diferencial deste espetáculo: vídeos são exibidos sobre a guerra civil espanhola e o governo de Francisco Franco com suas consequências devastadoras no país.  A chamada Guerra Civil Espanhola teve início em 1936 e durou até 1939, ano em que teve início a Segunda Guerra MundialO período que se seguiu ao fim da guerra civil ficou conhecido como Franquismo, haja vista que o general Francisco Franco, líder da Frente Nacionalista –  o polo vencedor da guerra civil – assumiu o comando do país. Belo trabalho realizado pela tríade: Ivan Marsiglia, Ivan Andrade e Maristela Chelala.

Biografia de Gabriel García Márquez

 

Gabriel García Márquez (1927-2014) foi um escritor colombiano. Nasceu em Aracataca, Colômbia, no dia 6 de março de 1927. Filho de Gabriel Elísio García e de Luisa Santiaga Márquez tiveram onze filhos. Passou seus primeiros anos na casa dos avós maternos em Aracataca, enquanto a família mudou-se para Barranquilla. Lá, estudou no Liceu Nacional de Zipaquirá.

Com 17 anos, decidiu tornar-se escritor. De acordo com ele, após ler A Metamorfose de Kafka, descobriu que o alemão contava as histórias da mesma forma que sua avó.

Em 1947, mudou-se para Bogotá para estudar Direito e Ciência Política, na Universidade Nacional da Colômbia. Contudo, não concluiu o curso.

Ainda em 1947, publicou seu primeiro conto “A Terceira Resignação”, no jornal El Espectador. Em 1948, foi para Cartagena onde começou o trabalho de jornalista no El Universal. Em 1949, foi para Barranquilla como repórter do El Heraldo. Nesse mesmo ano, participou de um grupo de estudos de literatura.

Em 1954, começou a trabalhar no El Espectador como repórter e crítico. Em 1955, pulicou seu primeiro romance      A Revoada (O Enterro do Diabo).

Em 1958, foi para a Europa como correspondente do El Espectador. Ao retornar para Barranquilla, casou-se com Mercedes Barcha, com quem teve dois filhos. 

Em 1961, foi trabalhar em Nova Iorque como correspondente internacional. Porém, suas ligações como o regime político de Cuba fez com que a CIA o perseguisse. Devido a isso, foi morar no México.

Em 1967, publicou sua obra mais famosa Cem anos de solidão.

Em 1982, vem o reconhecimento internacional de sua obra com o recebimento do Prêmio Nobel de Literatura.

Seu interesse por cinema o fez fundar, em 1986, a Escola Internacional de Cinema e Televisão em Cuba.

Viveu os últimos anos de vida em Cuba, onde lutou contra um câncer linfático.

Morreu em 17/04/2014, na Cidade do México (causas do falecimento não foram divulgadas).

 

 

Ficha técnica

Dramaturgismo: Ivan Marsiglia
Direção: Ivan Andrade
Atriz: Maristela Chelala
Figurino: Marcela Donato
Fotos: Lígia Jardim
Produção: Anayan Moretto

 

Frases de Gabriel García Márquez


·         A vida é uma sucessão contínua de oportunidades.

·         Dou valor às coisas, não por aquilo que valem, mas por aquilo que significam.

·         A vida não é a que a gente viveu e sim a que a gente recorda, e como recorda para contá-la.

·         A vida não é mais do que uma contínua sucessão de oportunidades para sobreviver.

·         Um único minuto de reconciliação vale mais do que toda uma vida de amizade.

Obras de Gabriel García Márquez


·         A Terceira Resignação, 1947

·         A Outra Costela da Morte, 1948

·         Amargura para Três Sonâmbulos, 1949

·         Diálogo do Espelho, 1949

·         A Mulher que Chegava às Seis, 1950

·         Nabo, o Negro que Fez Esperar os Anjos, 1951

·         Alguém Desarruma estas Rosas, 1952

·         Um Dia Depois do Sábado, 1955

·         A Revoada (O Enterro do Diabo), 1955

·         Relato de Um Náufrago, 1955

·         Ninguém Escreve ao Coronel, 1958

·         Os Funerais da Mamãe Grande, 1962

·         A Má Hora: o Veneno da Madrugada, 1962

·         Cem Anos de Solidão, 1967

·         Como Contar um Conto, 1947-1972

·         Todos os Contos, 1975

·         O Outono do Patriarca, 1975

·         Crônicas de Uma Morte Anunciada, 1982

·         O Amor nos Tempos do Cólera, 1985

·         Doze Contos Peregrinos, 1992

·         Do Amor e Outros Demônios, 1994

·         O Rastro do teu Sangue na Neve, 1981

·         O Verão Feliz da Senhora Forbes, 1982

·         A Aventura de Miguel Littin, Clandestino no Chile, 1986

·         O General em Seu Labirinto, 1989

·         Notícia de um Sequestro, 1997

·         Viver Para Contar (autobiografia), 2002

·         Memórias de Minhas Putas Tristes, 2004

·         Eu não Venho Fazer um Discurso, 2010

Deixe seu comentário, ele é muito importante para nós

* Seus dados não serão exibidos a terceiros.

Publicidade

Veja também